Lisboa – O secretário geral do MPLA, Dino Matross, deslocou-se no passado dia 9 de Agosto a província do Namibe, para uma actividade de massas e proceder com a  inauguração de um laboratório na escola de formação de professores, bem como visitas às obras dos novos edifícios da administração do governo, palácio e do club Sporting do Namibe.


Fonte: Club-k.net

MPLA sabota “MPLA”

O dirigente foi ludibriado pelos responsáveis local do seu partido que o induziram a inaugurar obras inacabadas como é o caso do laboratório. Antes  da sua chegada, os  seus camaradas colocaram computadores arrancados de outro local para o laboratório a fim de impressionar que "estava tudo concluído e apetrechado".

A tendência de inaugurar obras inacabadas no período de campanha eleitoral tornou-se uma prática constante no regime angolano. Na semana passada, o cabeça de lista do MPLA, José Eduardo dos Santos, teve de cancelar uma viagem ao Huambo após ser alertado que o induziriam a proceder o mesmo que aconteceu com o Dino Matross.

Constava na agenda presidencial, a inauguração do centro cultural Mbalundu, no município do Bailundo que, de acordo com constatação, até a data não estava ainda rebocado. Iria igualmente reinaugurar a barragem do Gove que até pouco tempo denotava problemas de capacidade de abastecimento de energia para toda cidade. JES iria também deslocar-se a Benguela para inaugurar o aeroporto da Catumbela que de acordo com um memorando encontra-se inconcluído. Após se aperceber da trama, chamou a si a responsabilidade da sua agenda pondo de lado a maquina partidária.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: