Lisboa – O presidente do Tribunal Supremo Militar, general António dos Santos Neto “Patónio”, sugeriu a margem de uma recente reunião "formas de se orientar discretamente" os militares das Forças Armadas Angolanas (FAA) para que nas eleições de 31 de Agosto, votem no “numero dois”, em alusão ao partido MPLA.


Fonte: Club-k.net

Em violação ao artigo 207 da Constituição

A sugestão do general baseou-se na posição de alegadas afinidades históricas que o “número dois” tem com as chefias militares e seus respectivos seguimento, razão pela qual entende que se deva criar formas de baixar a discreta orientação de voto.

A posição do juiz-general “Patónio” violam o artigo 207 da Constituição que estabelece o "apartidarismo das FAA" e dos seus oficias em se intrometerem nas questões de fórum político.

Nas últimas semanas, testemunhou-se comportamentos de generais no activo em envolver-se em questões políticas. No dia do inicio da campanha eleitoral, o chefe da Casa Militar, Manuel Vieira Dias “Kopelipa” apareceu trajado de camisola do MPLA num comício de massas realizado no 31 de Julho, no condomínio "Girasol", em Luanda. O chefe do Serviço de Inteligência Militar (SIM), general José Maria participou igualmente na mesma actividade partidária trajado a militar.

Na mesma senda, estiveram ainda presente nesta actividade, os ministros da Defesa Nacional e do Interior, Cândido Van-Dúnem e Sebastião Martins. Ambos foram criticados nas redes sociais, onde as suas imagens perfilam diariamente, pelo “mau exemplo”.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: