Luanda  -  José Mena Abrantes, escritor e assessor presidencial  terá aderido  a campanha eleitoral de forma discreta  através de textos não assinados no Jornal de Angola. A confirmação vêem de uma fonte próxima ao gabinete de  José Ribeiro em reação a reparos  do seu não envolvimento na campanha eleitoral em favor do seu partido.


Fonte: Club-k.net

De forma anônima através do  Jornal de Angola

A fonte,  adiantou que o escritor  tem feito textos de analises contra a oposição  criticando  os seus respectivos programas.  Atribuem-lhe, a titulo de  exemplo, um artigo publicado no dia 11 de Agosto  que trás  como titulo “Propostas que desafiam a lei da gravidade e o ciclismo” cuja integra se segue:

Propostas que desafiam a lei da gravidade e o ciclismo

 "Isaías Samakuva foi ao Dundo, escoltado por agentes da Polícia Nacional que ele acusa de raptos e assassinatos. Apresentou aos eleitores da Lunda-Norte as suas propostas: “a nossa proposta de governo é que todo o cidadão activo, com força para trabalhar, possa, através do concurso público, ser admitido na função pública mesmo com mais de 35 anos e vamos também aumentar o salário de todos os trabalhadores ” , prometeu. Acrescentou que o programa de governo da UNITA prevê um salário mínimo de 50.000 kwanzas (500 dólares).


O que isto tem a ver com a lei da gravidade? Absolutamente nada. Mas também nada tem a ver com política, com partidos e líderes partidários sérios. Fazer de todos os desempregados funcionários públicos, mesmo que tenham mais de 35 anos, é algo que está situado entre a anedota pornográfica e o delírio.


Prometer aos desempregados que se tiverem força vão ser todos funcionários públicos nada tem a ver com o ciclismo. É verdade. Mas se Samakuva dissesse aos eleitores do Dundo que a lógica é uma bicicleta, também não fazia qualquer sentido, mesmo para quem use e abuse da especulação filosófica.


Este comportamento político até tinha graça, se não estivesse em causa a honestidade política e não revelasse total falta de respeito pelos eleitores. Samakuva, na ânsia de conquistar uns quantos votos, já nem se limita a prometer água gelada sem geleira. Avança num discurso delirante que deixa ficar mal todos os partidos e o próprio país. Imagino o que pensam os observadores internacionais sobre as promessas do cabeça de lista da UNITA.

 

A CASA-CE faz um grande esforço para se mostrar como uma sucursal da UNITA. E está a conseguir. No seu tempo de antena apareceu um energúmeno aos gritos, dizendo que o Executivo está a fazer casas de esferovite. Isto porque apanhou uma casa em construção, na fase da colocação de material isolante. É uma pena que Chivukuvuku esteja tão empenhado em reduzir a política a pó." (FIM)



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: