Lisboa – Isaías Samakuva, o líder da UNITA  é o único representante de uma das franjas da sociedade política em Angola que a  Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo  (Tocoísta) negou-se a endereçar um convite para assistir a  inauguração, esta sexta feira,  da sua  Catedral, no  distrito urbano do Kilamba Kiaxi, em Luanda.


Fonte: Club-k.net

Para não beliscar  as relações com a cidade alta

O líder espiritual daquela Igreja, Dom Afonso Nunes  endereçou convites  a entidades governamentais, políticas (oposição e partido no poder) e figuras notáveis da sociedade civil. Endereçou  igualmente um convite  ao professor universitário, Almerindo Jaka Jamba (da UNITA),  a titulo individual.


A exclusão do Presidente da UNITA esta a ser entendida em círculos que acompanham o assunto como medida  de prevenção  do Bispo  Dom Afonso Nunes  a não beliscar as relações  que goza do Presidente José Eduardo dos Santos, a entidade que estava destinada a  efectuar o corte de inauguração da fita (PR desmarcou e não se fará presente por incompatibilidade de agenda). 


De lembrar que esta não é a primeira vez que o líder do maior partido da oposição é hostilizado em círculos religiosos.  Em Março de 2010, o responsável da IECA em Benguela, Herculano Tchinganguela, declinou fazer parte de um grupo de entidades religiosas que iriam receber cumprimentos de  Isaías Samakuva, que se deslocou a cidade das “acácias rubras”. A acção do pastor foi vista como uma iniciativa destinada a evitar problemas com o regime.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: