Luanda - O coordenador da Comissão de Ex-Militares Angolanos (COEMA), general na reforma Silva Mateus, anunciou na última terça-feira, 21, em Luanda, a convocação de três manifestações para os próximos dias 25, 28 e 31, para a reivindicação dos seus direitos. No anúncio, feito em conferência de imprensa, Silva Mateus disse que a primeira manifestação, que coincide com outra anunciada pela União Nacional para Independência Total de Angola (UNITA) para o mesmo dia, é de caráter nacional pelo que, defendeu, os ex-militares descontentes deverão nesse dia sair às ruas em todo o país.


Fonte: Lusa

"Esta manifestação coincide somente com outras convocadas por alguns partidos, nomeadamente a UNITA. Quero aqui deixar claro que a nossa saída à rua no dia 25 é somente coincidente com a data que a UNITA também proclamou", disse Silva Mateus.

"No dia 28, vamos voltar a sair à rua para cantarmos os parabéns ao Presidente (José Eduardo dos Santos), por não ter resolvido o nosso problema e no dia 31 vamos voltar à rua para nos solidarizarmos com as eleições que vão decorrer em Angola", ironizou o coordenador da COEMA. O Presidente José Eduardo dos Santos completa 70 anos no dia 28.

Na base das manifestações dos ex-militares, que já em duas ocasiões, 07 e 20 de Junho, saíram à rua, estão os alegados atrasos, nalguns casos de 20 anos, no pagamento de subsídios, pensões de reforma e vencimentos.

Segundo Silva Mateus, a resolução do problema está dependente do Presidente da República e Comandante em Chefe das Forças Armadas Angolanas, José Eduardo dos Santos, a quem foram dirigidas várias cartas, que até ao momento não mereceram resposta. "Se hoje até ao dia 25 (o Presidente) José Eduardo dos Santos me telefonar a dizer: Mateus para e vem conversar connosco, nós paramos com a manifestação. Se não disser nada está dito e vamos sair à rua nos dias 25, 28 e 31 de agosto", frisou.

Entretanto, o general alertou que a manifestação poderá acontecer já nesta quarta-feira, dia em que comparecerá na Direção de Investigação e Ação Penal, da Procuradoria-Geral da República, para responder a uma notificação. "Nós dissemos aqui que a manifestação tem lugar no dia 25, mas (...) se ficar detido vocês sabem o que fazer", disse Silva Mateus, questionando a plateia sobre qual o procedimento dos seus companheiros. "Se eu amanhã for detido, o que é que vão fazer?: Sair à rua. Quer dizer que a manifestação começa amanhã e não no dia 25", concluiu.

De acordo com Silva Mateus, as manifestações são pacíficas, mas ressalvou que o comportamento dos ex-militares durante o protesto será definido pelo comportamento da polícia. "Se aparecerem os 'caenches', se aparecerem os polícias para de forma ordeira nos acompanharem não haverá problemas, são bem-vindos, mas se estes polícias (...) vierem para nos violentarem, vamos devolver", alertou o general Silva Mateus.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: