Luanda - Está a ser questionada a origem dos resultados eleitorais que a CNE atribuiu ao Município do Cazenga em Luanda.  Os responsáveis da Comissão Municipal Eleitoral (CME) daquela localidade ligados a oposição denunciam, em relatório,  que no momento em que a CNE apresentou na televisão  os resultados sobre a cidade capital,  as urnas (e actas) do  Cazenga acabavam de chegar à sede eleitoral do município e nem sequer tinha  sido ainda  desceladas. Foram abertas quando eram 14h  de sábado e a CNE já havia presentado  resultados duas horas antes.


Fonte: Club-k.net

Os comissários da CME dizem-se ultrapassados por terem notado que a porta voz da CNE, Julia Ferreira ter igualmente  avançado resultados num momento em que a sede no Cazenga não tinha preparado ainda as condições técnicas que lhes permitiriam enviar os resultados para a Comissão Provincial eleitoral (CPE) e esta por sua vez para a CNE/Centro de Escrutínio.


No relatório  das queixas, os comissários invocam igualmente que a dado momento chegaram elementos estranhos na Comissão Eleitoral do Município que solicitaram para que  os quadros se ausentassem   daquela sede. Logo a seguir, segundo contam chegou  um grupo que se apresentou como “comissários da sede central CNE”. Os supostos “comissários” usaram a maquina de fax  e enviaram resultados que traziam consigo  para a sede da CPE, como se fosse a relação dos resultados  do município.

 
O sucedido consta nas reclamações que a oposição política prepara  para apresentar ao Tribunal Constitucional nas próximas horas e que deverão ser acompanhadas com copia das actas sínteses  que indicam que  os resultados apresentados pela CNE não é o mesmo  que os fiscais contabilizaram no terreno. A CNE atribuiu como resultado para o Cazenga o seguinte: MPLA - 61,46%; UNITA- 24,16%; CASA-CE 2,22%



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: