Vídeos: "best Seller"

O capítulo final da novela “julgamento”, teve a melhores finalização do mundo das “artes judiciais” angolanas. “Desobediência” ao serviço do estado ou pelo que tudo indica ao Presidente da República foi o ditado final da sentença. As acusações de tentativa de golpe de estado, abuso do poder e implementações de “serviços na secreta angolana” sem uma prévia consulta ao Presidente da República”, simplesmente foram banidos no julgamento.

O julgamento Miala foi minuciosamente acompanhado por quase todo angolano. A imprensa privada e órgãos internacionais não se cansavam em fazer cobro ao assunto. Na mesma altura, foi inclusive posto “online” um portal que retratava única e simplesmente as ocorrências do ex-general Miala.

A novela simplesmente chegou ao fim, porque os realizadores da referida novela "politizada", assim o esquematizaram. Realizaram-se as eleições na qual o MPLA venceu folgadamente e os espectadores necessitavam de algo novo e ao mesmo tempo feliz para fechar a novela.

Num dia como outro qualquer,  Maria da Conceição e António Ferraz, foram chamados pelos oficiais da prisão e sem 1 nem 2 foram passados a guia de liberdade. Os advogados dos arguidos ficaram congelados. Surpresos e ao mesmo tempo aniquilados pela segunda vez pelas “artes políticas” do regime. Fernando Garcia Miala e Francisco André serão auferidos a liberdade o mais cedo quanto se esperava visto que as suas penas foram reduzidas para menos de 1 uno e três meses.

Não se sabe ao certo quem autorizou a soltura imediata dos ex-seretas. Mais, sabe-se que o dito final da novela não poderia atingir de surpresa o presidente da República.

Dado o interesse que este caso despertou ao mundo, achamos oportuno relembrar os capítulos mais controversos, emocionantes e especulados  durante a difusão desta magna peça de arte angolana classificada como o "best Seller" do século em Angola. Para tal, visite a secção dos vídeos situados  no lado direito do teu monitor a partir da página principal.

* carlos Alberto
Fonte: Club-k



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: