Luanda - Suzana Mendes, uma das nomeadas  para a categoria, foi a primeira mulher a tornar-se editora-chefe de um jornal angolano, no caso o Jornal Angolense. Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade Independente de Angola (UNIA) foi, durante três anos, Directora para Informação do jornal "Angolense".

Fonte: Angolense

Como jornalista, viajou para vários países para cobrir eventos importantes. Ela já cobriu as eleições em Moçambique, África do Sul, Estados Unidos da América e Noruega.

Desde 2008 Suzana Mendes, membro fundador do Fórum de Mulheres Jornalistas para a Igualdade de Género (FMJIG), está a trabalhar como activista contra a violência doméstica em Angola, através da campanha mediática "Desafiando o Silêncio", que envolve jornalistas angolanas na sensibilização contra o drama social das agressões no meio familiar.

Ela é membro do Fórum de Repórteres Investigativos de África, com sede em Joanesburgo, África do Sul, organização da qual já foi vice-presidente (de 2009 a 2010).

No quadro do seu trabalho, a jornalista tem feito também uma série de palestras, em Angola, sobre temas como “cobertura de processos eleitorais”, “responsabilidade social dos jornalistas” e “o envolvimento da media no combate a violência doméstica”.

Actualmente, ela serve, enquanto voluntária, como Directora de Projectos do Fórum  de Mulheres Jornalistas para a Igualdade de Género e é redactora da Revista “Figuras e Negócios”, bem como integra o painel de comentadoras do programa “Elas e o Mundo”, da rádio LAC.

Importa realçar que para votar em Suzana Mendes para Diva da Comunicação os seus admiradores enquanto profissional podem enviar mensagem para o número “42323” com a mensagem “comunicacao2”.

Para este ano, na categoria “Divas da Comunicação” estão também nomeadas outras profissionais com créditos firmados no jornalismo angolano, nomeadamente Anastácia Bitota, Isabel João e Paula Esteves.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: