Luanda - O mundo já o recebeu mudo-surdo. Devido a essas duas dificuldades, Luís Pí teve uma infância difícil de se enfrentar, mas graças a sua coragem e determinação nunca se sentiu inferior as crianças que falavam e ouviam. Tentou sempre ser igual a elas, jogando a bola, brincando. Mas entre as mil e uma brincadeiras existentes  a que mais despertou interesse naquela criança surda/muda foi justamente a música.

Fonte: Club-k.net

Esta a gravar disco em Lusaka

Aos oito anos quase que já não deixava ninguém em casa em Paz tal era o "barulho" ensurdecedor que fazia quando, perante a um espelho e com o pente na função de Microfone, cantava imitando músicos. Ele não tinha a mínima noção dos "estragos" que causava sempre que efectuasse os seus indispensáveis ensaios. A família não tinha outra solução senão a de o deixar fazer o que mais gostava.

Anos depois, e de tanto presenciar diversas actividades  musico -culturais,  Luís Pí é convidado por Luis Montez, um dos pioneiros  na realização de espectáculos musicais em Luanda a época, por insistência sua. Pí achava-se que não era inferior a todos os demais cantores que animavam os espectáculos na altura.

"Este mudo vai cantar? Como?" indagavam-se os promotores e os músicos. Assim que lhe foi dado a possibilidade de estar em palco, o principal seu sonho naquela altura, Luís Pí mostrou que a deficiência que consigo transportava desde a nascença jamais o impossibilitaria de ver o seu sonho realizado... O sonho de ser musico.

Pí cantou e encantou. Chegou a casa com muitos fãs atrás de si. O Rangel, no geral, e a C-6, em particular, ganhava assim uma estrela diferente das demais. A partir daí passou a ser uma "coqueluche" do músic hall Luandense e a sua presença era indispensável em variadíssimos espectáculos promovidos na capital do País.

Pisou o mesmo palco com renomeados músicos da década de 60,70 e 80, com particular destaque para Elias Dya Kimuezo( o Rei), Luis Visconde, Urbano de Castro, Santocas, David Zé, Carlos Burity, Carlos Lamartine, Artur Nunes... e já foi acompanhado por quase todos os agrupamentos musicais, muito embora a sua preferência recaísse para os Kiezos.

Aos 59 anos de idade completados a 23 de Agosto ultimo Luis Pí, que é Membro da União dos Artistas e  Compositores de Angola "UNAC", terá a possibilidade  de realizar o seu segundo e mais importante sonho: a gravação de um disco. Escolheu a capital da Zâmbia, Lusaka, para a realização de tal proeza pois, segundo informações, não haviam portas abertas  para ele em Luanda. "Também com o kuduro a bater quem vai querer patrocinar o disco de  um mudo?", ironizou o kota Pépe, um fã incondicional de Pí.

Por diversas vezes Luis Pí solicitou apoios através de entrevistas que concedeu aos Programas "Musical" da TPA e "Viva o Sábado" da Radio Nacional de Angola, mas,infelizmente, o seu grito de socorro não  tinha sido ouvido.

De acordo com  fontes  familiares, Luis Pí pretende levar o primeiro disco da sua carreira a praça da Independência antes do Natal de 2012.  A ser verdade, não nos espantemos se Luis Pí for eleito pelo Guiness Book como  o primeiro cantor Mudo-Surdo no mundo a gravar um Disco.

*Antwen Kemps



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: