Mosiuoa Lekota demitiu-se do cargo de ministro da defesa após a saída do poder do agora ex-presidente Thabo Mbeki, no mês passado, ao qual se seguiu o seu apelo à cisão do ANC e da criação de um novo partido.

Mas funcionários do ANC vieram agora anunciar a suspensão de Lekota por razões disciplinares.

Cisão mais provável

Mas se o partido no poder na África do Sul está a atravessar momentos difíceis, em especial após a guerra de sucessão entre Thabo Mbeki e Jacob Zuma no ano passado, esta suspensão, dizem os analistas torna uma eventual cisão do ANC ainda mais provável.

Pouco provável é contudo, acrescentam, a possibilidade do partido que venha a constituir uma verdadeira ameaça à influência política do ANC, a não ser que pesos pesados do partido histórico decidam mudar de campo.

Em declarações à BBC, a porta-voz do ANC Jessie Duarte afirmou que o partido ão podia permitir que alguém o minasse internamente, criando fracturas e confusão, disse:


"O senhor Lekota já dividiu o partido. Não vale a pena contornarmos a questão. Ele já decidiu criar um novo partido e acho que alguém que fala da criação de um partido novo está a fracturar o partido, isso é claro".

A porta voz do ANC afirmou ainda que outros dissidentes seriam alvo de acções disciplinares.

Algo que Lekota, insiste está na base da sua contestação à actual liderança do ANC, que, afirma, obriga os seus membros a votar contra a sua livre vontade:

"Dentro do ANC a democracia era sempre aceite, agora removem indivíduos cujas opiniões divergem das deles. Expulsam-nos da organização, do governo, etc. Isto não é aceitável. Uma vez que o clima de democracia se evapora, não vale a pena continuar a tentar. Estamos condenados", disse.

O aviso político do antigo ministro Lekota, agora tornado em ameaça de cisão no ANC.

Resta saber se a ameaça de acção disciplinar contra os dissidentes vai ser suficiente para conter a revolta dentro do partido mais emblemático de África.

Fonte: BBC



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: