Lisboa - Por alegadas orientações “superiores” , o ministro dos Transportes, Augusto Tomás procedeu no passado dia 30 de Agosto do corrente ano, a inauguração do aeroporto municipal do Soyo, província do Zaire, um trunfo que serviu na briga com os seus adversários políticos no pleito eleitoral, na altura.

Fonte: Club-k.net

Passados mais de três meses, veio se confirmar que o aeroporto ora inaugurado não se encontrava em condições funcionais e que os vidros da fachada eram apenas "para causar a sensação" de que a referida obra estava concluída. No terreno, Club-K constatou que o aeroporto municipal continua inoperante e as obras de reabilitação seguem a ritmo "de cameleão", tal como muitas outras iniciadas para causar impacto positivo junto dos eleitores.

A “trapalhada” segundo alguns observadores que também constataram “in loco”, que apressou a inauguração resultou no esquecimento, pois a designação oficial desta estrutura é “Aeroporto Comandante Ndozi”, uma referência da luta de libertação que é natural daquele território ao invés do "Aeroporto do Soyo".

Nove dias antes da inauguração do aeroporto inacabado, o Presidente José Eduardo dos Santos escalou a cidade do Soyo, para inauguração de vários empreendimentos socioeconómicos do município, depois de trabalhar, no período da manhã do dia 21 de Agosto, em Mbanza Kongo, capital do Zaire.

De salientar que esta não é a primeira vez que José Eduardo dos Santos autoriza a inauguração de obras inacabadas. No dia 10 de Dezembro de 1985 também inaugurou o estádio da Cidadela Desportiva sem estar concluído. Passados 27 anos, o “gigante” não foi concluído, vivendo de remendos.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: