Lisboa – Joaquim David, ex-ministro da Geologia, Minas e Indústria, Angola, não continuou no Governo por vontade própria – de que emissários de José Eduardo dos Santos tentaram demovê-lo, mas em vão.

Fonte: AM

Pinda Simão, ministro da Educação, também manifestou a intenção de se afastar, mas foi persuadido a manter-se. Eram até agora inéditos casos de governantes que voluntariamente manifestavam a pretensão de se afastar.

Joaquim David, vulgo “Quim” David, invocou razões relacionadas com a sua vida privada para deixar o Governo. A ideia que há, porém, é a de que evitou expôr-se a uma situação de subordinação hierárquica face ao actual vice-Presidente, Manuel Vicente.

O relacionamento considerado menos bom que se sabe existir entre ambos, remonta a uma fase, de que ficaram sequelas, em que Quim David era director geral da Sonangol e Manuel Vicente director geral adjunto.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: