Luanda – Mais uma vez o panorama cultural angolano voltou a perder dois dos seus membros. Tratam-se dos músicos Edson Ecóteo Chissica, vulgarmente conhecido por “Chissica Artz” e Nito Nunes. O primeiro foi traído por uma paragem cardíaca e faleceu por volta das 20 horas e pouco minutos, na clínica Sagrada Esperança (pertencente a diamantífera nacional Endiama).

Fonte: Club-k.net

Já o segundo foi vítima de tensão arterial (uma doença que o mesmo já vem carregar há largos meses). Curiosamente os dois músicos perderam a vida no mesmo dia, isto é, na terça-feira, 04, em Luanda, mas em locais diferentes.

A informação sobre à morte de Chissica Artz – que deixa uma viúva e três filhos (cujo último tem apenas seis meses de vida) – foi confirmada pelos familiares a uma emissora sedeada na capital angolana.  Enquanto de Nito Nunes foi avançada pelos vizinhos. 

Este portal soube de uma fonte que a paragem cardíaca, de Chissica, terá sido originada de um Acidente Vascular Celebral (AVC). Segundo um dos técnicos de saúde que se encontrava de plantão naquela unidade hospitalar, garantiu que tudo foi feito para salvar o músico. "Mas infelizmente não foi possível”, rematou. 

Natural da província do Huambo, Edson Ecóteo Chissica iniciou a sua carreira musical, aos 16 anos de idade, a cantar no coral infantil de uma igreja protestante em Luanda. Venceu nas categorias “Música do ano” e “Artista Revelação”, no Top Rádio Luanda, edição 2001, e ficou em terceiro lugar no prémio africano Kora, na categoria “Melhor Artista da África Austral”, ao lado dos músicos africanos de referência Ivony Chakachaka e Koffi Olomidé.

Do seu repertório já contam três discos nomeadamente “Inconformado”, em 1998, “De traz para frente”, em 2002, “Influências”, em 2005, e por último “Realidade”, em 2010. Antes da sua partida para o além, o músico preparava o seu quinto trabalho discográfico, cujo título mantêm-se em segredo dos deuses. A obra em questão, possivelmente, será lançado nos próximos tempos pelos seus familiares a título póstumo. 

Já o Nito Nunes foi um artista de sucesso na década de 70, e deixou no seu repertório apenas  um disco intitulado “N’Gueza”, que comporta dez temas de semba e rumba, com a participação dos músicos Yeyé, Sacerdote, Livongh, Presilha, Alex Samba, Texas, Mayó, Inácio do Fumo, Lutuima e Meu.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: