Luanda – O governador provincial do Bengo, João Bernardo de Miranda, exonerou nesta segunda-feira, 10, em Caxito, por um despacho, Mbala Kussunga do cargo de director provincial da saúde, após ter o Club K publicado (no passado dia 18 de Novembro, no espaço “A Voz do Povo”), uma carta aberta (assinado por Admar Junguma), dirigida ao Kussunga, onde o cidadão manifestava o seu total desagrado com o serviço que lhe foi prestado no hospital central de Caxito.

Fonte: Club-k.net

Num outro despacho, João Miranda nomeou António Martins para o cargo de director provincial da saúde. Curiosamente, esta é a primeira movimentação de um director provincial que o governador efectua, desde que foi reconduzido para o cargo em Outubro último.

Mas os analistas locais acreditam, sem sombra de dúvida, que a exoneração do então director provincial da saúde deveu-se pelo facto da denúncia publicada pelo Club-K, uma vez que o exonerado não dava conta do recado. “Ele era muito relaxado. Passava a vida fora do seu local de serviço. Na maior parte das vezes quando houvesse uma actividade, tipo de vacina, mandava outras pessoas para lhe representar”, revelou uma fonte local.

Curiosamente, a exoneração de Mbala Kussunga foi festejada pelos cidadãos residente em Caxito que deplora(va)m o modo de atendimento de alguns técnicos de saúde, como alertava Admar Junguma na sua missiva que vale recordar este pequeno esboço.

“Senhor Director, o desprezo aos pacientes é uma prática recorrente no hospital central de Caxito. E estranha-me que o senhor, há muitos anos no cargo, nunca tenha feito nada para mudar o rumo das coisas! Não sei se é por desconhecimento ou por não se importar com as nossas vidas!”.

 

Clique para ver o texto da denúncia:

Carta aberta ao director provincial da Saúde do Bengo

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: