Uma amiga australiana, que quer visitar o nosso País nos próximos meses, perguntou-me como é Angola e como são os angolanos. Bem, à minha amiga respondi que Angola é um País grande, belo e rico.

Grande, porque há lugar para todos. Belo, porque tem praias, rios, vales e montanhas de uma beleza invulgar. Rico, porque tem de tudo um pouco no seu subsolo: ouro, petróleo, diamantes, café, etc.

Disse mais: o nosso País é tão rico, tão rico, que me faz pensar que Deus é angolano e o diabo conterrâneo. Eu explico: o primeiro abençoou a nossa terra com uma série de recursos naturais e não só. O segundo induz (?) alguns angolanos a dividirem mal os recursos.

Esta foi a minha resposta em relação a Angola.

No que à caracterização dos angolanos diz respeito, disse-lhe o seguinte: o angolano, contrariamente ao português, não vai, baza.

O angolano, contrariamente ao brasileiro, não entra, bokwa.

O angolano, contrariamente ao moçambicano, não festeja, disbunda.

O angolano, contrariamente ao sãotomense, não descansa, relaxa.

O angolano, contrariamente ao cabo-verdiano, não passeia, dá um giro.

O angolano, contrariamente ao guineense, não come, pita. O angolano, contrariamente ao timorenses, não diz venho já quando se ausenta; diz que está a vir.

Querem mais? Estou a vir!

Nota: Foi o Presidente da República, José Eduardo dos Santos, quem disse que nós, angolanos, somos especiais.

* Jorge Eurico
Fonte: NL