Lisboa – O Presidente José Eduardo dos Santos licenciou à reforma de um grupo de generais, de proa do regime, que se encontram a exercer cargos políticos no executivo. Do grupo dos reformados, constam, de entre outros, os nomes dos generais António França “Ndalu” (deputado do MPLA), Higino Lopes Carneiro (governador do Kuando Kubango), Eusébio Teixeira de Brito (governador do Kwanza Sul) e Armando da Cruz Neto (governador de Benguela).

Fonte: Club-k.net

A reforma dos mesmos é decorrente ao precedente do almirante André Mendes de Carvalho “Miau” que antes de se afiliar como político da CASA-CE, teve de ver a sua passagem a reforma assinada pelo comandante em chefe das FAA, José Eduardo dos Santos.

Desde então, a CASA-CE, acusou o MPLA de ter vários militares a exercerem cargos políticos  sem terem passado para a reforma, o que viola  o  artigo 207 da Constituição  que  impede os militares no activo de exercerem actividade política.

Contradição

Não obstante a passagem a reforma destes oficias, está a ser considerada como “contradição”, a permanência do general Eusébio Teixeira de Brito como representante formal da Casa Militar na região sul do país.  O cargo é destinado aos oficiais militares e o mesmo ao passar para reforma fica na condição de civil. Eusébio Teixeira de Brito acumulava a referida pasta com o cargo que ocupava de governador provincial do Kuando Kubango.  De momento é o governador e primeiro secretário do MPLA na província do Kwanza- sul.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: