C O M U N I C A D O   SOBRE O AUMENTO DO PREÇO DOS COMBUSTÍVEIS

Luanda - 1. Os meios de comunicação do Estado, nomeadamente, Televisão Pública de Angola (TPA) e Jornal de Angola, tornaram pública a notícia de que existe a intenção por parte do Governo de retirar, em parte ou na totalidade, o subsídio que vem dando aos combustíveis. Para tal, socorreu-se de um quadro sénior da Sonangol, mais concretamente, de um Administrador Executivo.

Fonte: BD

2. Qualquer redução do nível dos subsídios aos combustíveis implicará uma subida nos seus preços de venda, com as consequências que se adivinham. A extinção absoluta dos subsídios levará a uma subida abrupta dos preços e lançará o caos na gestão financeira das famílias e mesmo até das empresas mais frágeis.

 

3. O primeiro impacto far-se-á sentir nas tarifas dos transportes, também nos preços dos restantes bens e serviços, dado que grande parte da actividade económica e social se realiza com recurso aos meios alternativos de produção de energia – os geradores. Os reflexos em cadeia da subida dos preços dos combustíveis gerarão mal-estar social e produzirão um aumento no nível de sofrimento do povo, em especial, dos sectores mais pobres.


4. O Bloco Democrático não está de acordo com a ideia de que o subsídio aos combustíveis apenas favorece os mais endinheirados que utilizam por essa via um combustível barato para alimentar transportes de luxo. Esse é um argumento falso, quando se pretende justificar uma tal medida. Os pobres e a classe média também aproveitam em seu benefício o custo relativamente barato que se pratica no combustível em Angola.


5. Por exemplo, se preço dos transportes disparar, toda a correlação económica se alterará: há quem deixará de viajar de candongueiro, passando a ir para o trabalho à pé; aumentarão os preços dos restantes serviços e bens; aumentarão as propinas escolares, pois as escolas praticamente funcionam com base em geradores; crianças e adolescentes deixarão de poder ir à escola, porque os seus encarregados de educação não estarão em condições de suportar os custos de transportação; muitos lares que empregam trabalhadores domésticos e subsidiam o seu transporte deixarão de o fazer, despedindo trabalhadores.


6. O Bloco Democrático é directo: o aumento abrupto do preço dos combustíveis gerará desemprego, numa sociedade que ainda apresenta níveis de desemprego assustadores e que vive muito à custa do trabalho informal.


7. O Bloco Democrático chama a atenção das autoridades para o risco que o país corre se tal medida for tomada de um modo irracional, isto é, sem ter em conta as medidas que devem ser tomadas para defender o nível de vida, já demasiado baixo, preocupação aliás que não se encontra no horizonte da Governação.

 

8. O BD – Bloco Democrático - conclama ao povo angolano e suas respectivas forças vivas para se oporem ao aumento do preço dos combustíveis utilizando todos os meios democráticos ao seu alcance.


LIBERDADE, MODERNIDADE E CIDADANIA
Luanda, 6 de Março de 2013


O SECRETARIADO NACIONAL



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: