Luanda - Angola pode albergar o campeonato africano sénior de andebol em 2016, afirmou hoje (quinta-feira) a imprensa, em Luanda, o presidente da federação angolana da modalidade, Pedro Godinho.

Fonte: Angop
 
O responsável fez este pronunciamento após audiência com o vice-presidente de República, Manuel Vicente (na foto), em que estiveram presentes o ministro dos Desportos, Gonçalves Muandumba, o presidentes da Federação Internacional e da Confederação Africana de Andebol, respectivamente, Mustafa Hassan e Aremou Manserou.

 
“Foi reafirmado agora na audiência com o vice-presidente, é quase uma certeza a realização em Angola do campeonato africano em 2016”, frisou o responsável máximo do andebol no país.

 
Pedro Godinho indicou que o seu elenco irá trabalhar nos próximos tempos com a confederação africana da modalidade no caderno de encargo, acrescentando que o vice-presidente aconselhou a organização da prova continental em 2016 como “balão de ensaio” para um campeonato do mundo.

 
“Se repararmos bem, todas as ideias são convergentes. Temos um projecto que se chama “Rio”, em que estamos a trabalhar com jovens para dentro de três anos representarem a selecção de sénior e depois organizarmos a taça das nações em andebol 2016 e tentar a qualificação aos jogos Olímpicos do Rio de Janeiro no mesmo ano”, disse.


 
Referiu que para o cumprimento de tal objectivo Angola vai contar com ajuda da Federação Internacional de Andebol (IHF) por via do envio de técnicos para com os profissionais locais trabalharem, perspectivando a elevação da qualidade do andebol nacional, comparativamente ao das potências mundiais.
 


“Temos de definir as prioridades, desde o aumento da competição interna e o volume de jogos internacionais, trazendo selecções para Angola ou irmos jogar na Europa”, frisou.

 
A possível organização por Angola do campeonato africano de 2016 e um mundial da modalidade trouxe ao país responsáveis da federação internacional e da confederação africana de andebol, que durante quatro dias trabalharam com as direcções do Comité Olímpico (COA) e da federação angolana (FAAND).

 
Pedro Godinho considera a vinda de tal delegação como reconhecimento do investimento que o executivo angolano tem feito no desporto, particularmente no andebol.
 

Angola organizou já em duas ocasiões o campeonato africano de andebol, o último dos quais em 2008.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: