Lisboa -   Está  a solidificar-se,  em meios internacionais com domínio da política angolana,  a percepção segundo as quais  José  Filomeno Sousa dos  Santos “Zenu” estaria inclinado  na projeção da sua imagem no estrangeiro,  por intermédio de uma campanha ao qual estão envolvidos peritos/consultores  estrangeiros  contratados para o efeito.

Fonte: Club-k.net

Desde  que começou a despertar  protagonismo  com a  posição de administrador  do  Fundo Soberano de Angola (FSDEA), Zenu dos Santos passou a  ter três assessoras do sexo feminino  (Uma portuguesa, uma Inglesa e uma Asiática) que o assistem em  assuntos correntes.  Antes a sua assessoria estava centrada nas mãos de um “mastermind”,  Jean-Claude de Morais Bastos, que é  um cidadão  suíço com origens de Cabinda.


Em Outubro de 2012, Zenu dos Santos  contratou a empresa portuguesa de consultoria de  “M Public Relation”, com escritórios nas amoreiras, em Lisboa para cuidar da imagem do Fundo Soberano (FSDEA). A “M Public Relation”, é uma  empresa de relações publicas e comunicação que   trabalha a reputação de  pessoas e  empresas .  A gestora de comunicação do FSDEA,  na empresa é  Ingrid Arruda Moreira. O funcionamento  da  gestão de imagem do FSDEA   é  feito  com a coordenação de  equipas do Dubai, África do Sul e Bruxelas da rede internacional Grayling, da qual a M Public Relations é afiliada.


De acordo com constatações, José Filomeno  dos Santos  “Zenu”  revela-se igualmente inclinado em contactos com jornalistas estrangeiros ao qual se deslocam a Luanda. De entre os responsáveis do Fundo Soberano, ele é o único que  concede  entrevistas  no seu gabinete num edifício preto, no perímetro da Igreja Sagrada Família, em Luanda.   A poucas semanas atrás, o África Monitor Inteligência, publicou  que da  organização e funcionamento do FSDEA, ficaram confiadas a “Zenu” competências exclusivas no plano das relações internacionais. O exercício da função, segundo aquela publicação,  implica contactos de alto nível no mundo da política e dos negócios – uma actividade geradora de visibilidade, influências e mesmo apoios.


 “Sucessor presidencial”  visita  escola primaria


A campanha de imagem  de “Zenu”  não é alheia a atividades que tem desenvolvido  em Angola  cuja cobertura  é apenas feita por jornalistas estrangeiros.  O exemplo mais concreto insere-se a uma visita de cortesia que efectuou no  passado dia 7 de  Fevereiro, do corrente ano,  a   escola  “Aplicação Ensaio numero 4”,  no bairro alvalade,  onde mesmo freqüentou o seu circulo primário,  ao tempo em que viveu naquele  bairro (Rua comandante Stoner).   A visita não foi objecto de noticia na imprensa angolana.  Zenu dos Santos  deslocou-se a sua ex- escola acompanhado apenas por um membro   do gabinete presidencial  e um jornalista estrangeiro.


Durante a visita de cortesia,  abordou a directora da sua antiga escola   de quem recebeu  algumas explicações sobre a funcionalidade daquele estabelecimento  educacional  tendo sido igualmente   informado sobre  planos de  modernização do parque  de recreio para os alunos. Zenu dos Santos manifestou-se   expectante com as iniciativas da responsável escolar sem, no entanto, se ter  comprometido  financiar  a  iniciativa da directora escolar.


José Filomeno dos Santos “ Zenu”   é usualmente identificado como estando na  linha de sucessão presidencial em Angola, paralelamente a Manuel Vicente, actual Vice- Presidente.  Foi - lhe transferido através do Fundo Soberano, poderes que Vicente teve enquanto conduziu a petrolífera angolana.  Depois do seu pai, José Eduardo dos Santos, ele é a figura que no regime angolano gere  5 bilhões de dólares – o maior fundo de uma unidade orçamental nas estruturas do Estado angolano.  (O orçamento do Gabinete de Manuel Vicente é “apenas” de 20 milhões de dólares)


Por outro lado, em círculos  que acompanham a carreira do jovem gestor  interpretam que episódios como o da visita  a sua antiga escola  seja um  demonstração da sua “sensibilidade política ou  social”.  O elucidado não é alheio a analises que apontam que o novo discurso que optou (de que não esta na política activa e que o seu pai não aborda assuntos políticos com ele em casa)  serve para “disfarçar apetites”, em torno do debate da  sua “preparação política para a sucessão presidencial”.  De acordo com observações,  há  fortes indicadores apontando  que embora haja um interesse  incutido pelo pai,   o  próprio Zenu tem   manifestado   sinais de entrega ao  assunto, como, por exemplo, a dedicação  da proteção externa da sua imagem.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: