Luanda - A Sociedade Nacional de Combustíveis (Sonangol) esclareceu, em Luanda, através de uma nota de imprensa, que não haverá, agora ou num futuro próximo, alterações na estrutura de preços dos combustíveis.

Fonte: Angop

“Em momento algum e em consequência dos ajustamentos efectuados à estrutura de margens e encargos, se prevê, no presente ou num futuro próximo, qualquer variação ao preçário dos combustíveis, definido pelo Decreto Executivo Nº.97/12 de 26 de Março”, lê-se na nota da petrolífera angolana chegada à Angop.

A companhia esclarece que a implementação deste diploma é o resultado do esforço do Executivo em manter os necessários equilíbrios nos agregados económicos, no qual a sua política fiscal é uma das componentes.

Acrescenta que durante o anúncio dos seus resultados preliminares do ano de 2012 e como parte da avaliação da sua actividade operacional, comercial e financeira, a Sonangol comunicou ao mercado e à sociedade, que os seus resultados foram influenciados pela entrada em vigor do Despacho Presidencial Nº.01/12 de 04 de Janeiro.

Este despacho estabelece os termos e condições do abastecimento de petróleo bruto à Refinaria de Luanda e inclui uma nova estrutura de margens e encargos para as empresas que operam no mercado, desde a refinação à distribuição de combustíveis, lubrificantes e gás butano.

Segundo o documento, a Sonangol está a fazer diligencias e a desenvolver esforços para conclusão da Refinaria do Lobito – sua 1ª. fase com capacidade de processar cerca de 120.000 barris/dia, durante este quinquénio.

Com este investimento, finaliza a nota, a empresa espera satisfazer em plenitude as necessidades do nosso mercado, eliminando por completo a importação de gasolina, gasóleo e gás butano, reintroduzindo a necessária eficiência ao sector de refinação e assim sugerir ao Executivo o sistema tarifário mais adequado, sempre compatível com regime geral de preços, a política de rendimento e a recuperação do esforço de investimento.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: