Lisboa –  Circulam rumores em meios do regime angolano  apontando para  um possível regresso  as estruturas estatais do antigo ministro das finanças José Pedro de Morais Júnior.  O referido rumor deu lugar a uma convicção generalizada  apoiada em sinais  mas também na abertura  de  contactos do mesmo com antigas alianças que lhe  eram reconhecidas.

Fonte: Club-k.net

ImageDe entre os sinais verificados, resalva a informação  de que   estaria  a prestar assessoria  ao governado provincial  do Kuando Kubango, na pessoa do seu titular, general Higino Lopes Carneiro com que partilha interesses.  Surgiram igualmente   ventilações apontando-o para uma eventual  acomodação junto  de um  organismo multilateral no exterior, em  representação do Estado angolano.


Pedro Morais  Júnior  saiu  do governo, em 2008,  no seguimento de desinteligências com o Presidente José Eduardo dos Santos (JES) tendo desde então  se dedicado aos negócios privados.  Em meados de 2011, foi apresentado por JES  como “bode espiatorio” numa reunião do Conselho de Ministro a respeito de falhas  nas finanças angolanas. No seguimento da acusação, o mesmo escreveu uma carta ao líder angolano apresentando  a sua versão.  A reação do mesmo, exposta na  carta  foi  encarada  como um acto de “desafio ou mal criadez” sobretudo pela lingaguem técnica de difícil compressão.  A missiva  saiu do Gabinete presidencial  tendo ido parar nos jornais ao que gerou especulações de que   havia intensão  do regime  espo-lo.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: