Lisboa - Os bastidores da Juventude Unidade Revolucionaria (JURA), braço juvenil da UNITA, esta a ser assolado por sondagens e disponibilidades para disputa da liderança da organização no próximo congresso previsto para 2014. Ainda são desconhecidas a posição do actual SG, Mfuka Facuacua Muzemba, o actual Secretario Geral se concorre ou não a sua própria sucessão, porem surgiram, já, alguns  nomes apontados como potencias pré candidatos.

Fonte: Club-k.net

Pedro Lourenço e   Kapando preparam-se para corrida

Lossaya Alicerces “Aly”, filho do falecido SG da UNITA, Adolisi Mango Alicerces, que ate pouco tempo estaria a ser instigado por uma corrente interna oposta a liderança de Mfuka Muzemba terá abdicado de tais pretensões sob alegação de que precisaria firmar-se mais um pouco para dominar os meandros da feitura da política em Angola. O jovem regressou recentemente da Costa do Marfim onde se licenciou e concluiu um mestrado na área de marketing.

Para alem de “Aly”, pontificaram-se nas ultimas semanas os nomes do militante Kawnhango como estando interessado na disputa porem, rejeitado pela ala tradicional da JURA por alegadamente não possuir perfil a altura.


Altino Kapando, antigo dirigente do Secretariado  provincial da JURA em Luanda, é igualmente citado como interessado na disputa, porém joga em seu desfavor alegadas acusações de gestão ao tempo do seu mandato como quadro  da organização juvenil na capital do pais.


Um quarto nome que se ventila é o do membro da comissão política da UNITA, Pedro Lourenço, actualmente a freqüentar uma pos graduação no ramo da engenharia no Brasil. No congresso passado, o teriam definido como “potencial candidato para o futuro”, mas teria recuado sob alegação de tencionar mais algum tempo.  Reconhecem-lhe sentido de moderação, ao qual contaria com o beneplácito de figuras como o Secretario Adjunto de Luanda, Osvaldo Lourenço, e de duas conhecidas deputadas.


O ambiente de que se observa na JURA é consubstanciada em acusações segundo as quais a sua actual direção estaria estagnada em termos de actividades, que a poriam a altura da rival JMPLA.  Porem, correntes internas alegam que a ausência de actividades deve-se ao facto da direção da UNITA não dispor aos cofres da organização verbas para o efeito.  Alega-se igualmente varias vezes a própria direção do partido teria chumbado propostas apresentadas pelos jovens, acrescidas a informações de supostas sabotagens do regime.  Em Agosto passado, a Policia Nacional impediu os jovens de desenvolverem campanha tendo inclusive cercado a sede da organização na vila Alice.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: