Lisboa - No seguimento de uma exposição que chegou ao seu conhecimento dando conta de irregularidades na Associação Desporto e a Mulher (AMUD), o Ministro dos Desportos, Gonçalves Muandumba (na foto) indeferiu a ação da presidente desta organização, Teresa Filomena da Costa Quarta que visava realizar um processo de recondução ao cargo considerado “pouco transparente”.

Fonte: Club-k.net

De acordo com conhecimento, a presidente daquela associação desportivo teria elaborado um programa distribuído aos associados ao qual os convocava para uma actividade em que no mesmo dia seriam apresentados os relatórios de atividades, processo de eleição da comissão eleitoral e corpos gerentes e por fim a tomada de posse da presidente eleita seguido de um jantar de confraternização.

Entretanto, numa exposição datada de 17 de Abril, chegada ao Ministro dos desportos, um grupo de associados, ao qual se pontificam  nomes sonantes como de Eufrazina Maiato e Ana Sacramento, informa ao governante que “as signatárias aguardavam expectantes, pela convocação nos termos legais, quer das associações desportivas como de associações civis e do próprio estatuto, daquela que seria a ultima assembléia geral, embora não tenha realizado durante o mandato, para apreciação e aprovação do relatório de actividades, bem como despoletar o processo eleitoral.”


“Surpreendemente alguns membros tomaram conhecimento, inclusive a Presidente da Mesa da Assembléia Geral e a Vice - Presidente desta associação, durante a assembléia geral do COA, realizada no dia 10 de Abril do corrente, quando alertada de que todos os membros do COA devem realizar o seu pleito eleitoral, antes do pleito eleitoral do Comitê Olímpico Angolano, sob pena de perderem o direito de indicar seus representantes para o COA, conforme o estatuto. Foi nesta ocasião que a Presidente de direcção deu a conhecer que a Assembléia Geral da AMUD, bem como a realização de eleições estão marcadas para dia 20 do corrente”, Le-se no documento em posse do Ministro.


De acordo com apreciações, o  acto de eleição de Teresa Quarta reveste-se de “tamanha irregularidades”, ao qual é invocado  o incomprimento de times da comissão eleitoral (CE).  A referida CE  deve ser eleita numa assembléia sob proposta da direcção da AMUD e por sua vez esta mesma comissão eleitoral deve fazer um comunicado para dar abertura às demais concorrentes, caso haja. Bem como estipular um prazo para a campanha das candidaturas, prazo este que deverá cessar 48 horas antes da observância do período eleitoral. Em reação, o Ministro dos Desportos, ordenou o cancelamento do  avanço do processo de recondução de Teresa Quarta, da AMUD.


A AMUD é uma associação que congrega no seu seio, essencialmente mulheres ligadas ao desporto, isto é atletas, ex- praticantes dirigentes desportivas representando diversas federações e associações desportivas.  A sua Presidente de Mesa da Assembléia é a deputada do MPLA,  Eufrazina Teresa Maiato, coadjuvada pela magistrada (procuradora provincial),  Maria Paulo Furtado. A Vice- Presidente é Ana Paula Sacramento Neto, a Secretaria de Estado para a Família e Promoção da Mulher.


A sua presidente de direção, Teresa Filomena Quarta tratada no circulo familiar por Tété Néna é formada em direito, ex- directora do Gabinete Jurídico do Minjud na década de noventa.  É membro do Comitê Executivo da Confederação Africana de Basebol e Softbol, onde ocupa uma das vices- presidência para as questões humanitárias estando igualmente no Comité Olímpico Internacional (COI) para a Mulher e o Desporto, cargo vitalício. São lhe atribuídas, como ambição, a presidência  do Comité Olímpico Angolano (COA).



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: