Segundo o, diplomata o sucesso do MPLA nas eleições legislativas deveu-se a sua grande capacidade de mobilização do eleitorado, que levou o povo angolano a votar conscientemente para o partido, por ter apresentado um programa galvanizador e estimulante aos anseios da população, que visa a melhoria de condições, o bem-estar e o desenvolvimento do país.

Miguel N’Zau Puna, na sua alocução, enalteceu ainda o forte empenho da direcção do MPLA, em particular do seu Presidente José Eduardo dos Santos, que num acto de massas realizado em Benguela, durante a campanha eleitoral, a 18 de Agosto último disse: “Só podemos continuar a obra iniciada e continuar nesta senda da reabilitação, da reconstrução, do desenvolvimento, diria mesmo até, da construção de nova Angola, se os angolanos, que vão as urnas, a 5 de Setembro deste ano, saberem fazer a escolha certa, saberem distinguir, entre os diferentes actores, quem lhes garanta certeza, confiança, no cumprimento de promessas”.

O clima de total serenidade, a forma ordeira e pacifica do eleitorado registado nas eleições legislativas foi igualmente elogiado pelo embaixador Miguel N’Zau Puna, afirmado que com este comportamento, Angola demonstrou à África e ao mundo um exemplo de participação democrática e civismo.

Segundo o, diplomata o sucesso do MPLA nas eleições legislativas deveu-se a sua grande capacidade de mobilização do eleitorado, que levou o povo angolano a votar conscientemente para o partido, por ter apresentado um programa galvanizador e estimulante aos anseios da população, que visa a melhoria de condições, o bem-estar e o desenvolvimento do país.

Miguel N’Zau Puna, na sua alocução, enalteceu ainda o forte empenho da direcção do MPLA, em particular do seu Presidente José Eduardo dos Santos, que num acto de massas realizado em Benguela, durante a campanha eleitoral, a 18 de Agosto último disse: “Só podemos continuar a obra iniciada e continuar nesta senda da reabilitação, da reconstrução, do desenvolvimento, diria mesmo até, da construção de nova Angola, se os angolanos, que vão as urnas, a 5 de Setembro deste ano, saberem fazer a escolha certa, saberem distinguir, entre os diferentes actores, quem lhes garanta certeza, confiança, no cumprimento de promessas”.

O clima de total serenidade, a forma ordeira e pacifica do eleitorado registado nas eleições legislativas foi igualmente elogiado pelo embaixador Miguel N’Zau Puna, afirmado que com este comportamento, Angola demonstrou à África e ao mundo um exemplo de participação democrática e civismo.

Fonte: Angop



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: