Genebra - O antigo poste internacional angolano Jean Jacques recebeu quarta-feira à noite em Genebra elogios do presidente da FIBA e forte ovação dos cerca de 400 convidados, presentes na gala de homenagem, que o consagrou no Hall da Fama do mundo do basquetebol.


Fonte: Angop

Bastante aplaudido pelos mais de 400 convidados em cerimónia realizada em Mies, arredores de Genebra (Suíça), Jacques recebeu largos elogios do presidente da FIBA, Yvan Mainini, que considerou o basquetebolista angolano como um expoente máximo da modalidade no continente e no mundo, e um atleta de qualidades reconhecidas de humildade e humanismo, o exemplo a seguir pelas novas gerações.

Segundo o presidente da FIBA, Jean Jacques recebeu a merecida homenagem por ter contribuído grandemente para o desenvolvimento da modalidade em Angola e em África, bem como pelos países onde evoluiu.


Ao pronunciar-se durante a gala, Jacques, visivelmente emocionado, disse que a homenagem que lhe foi prestada prestigia o nome de Angola e os feitos alcançados pela selecção nacional a nível internacional, particularmente em África, onde reinou durante duas décadas.


Destacou os esforços do Estado no apoio e promoção da modalidade em Angola, o que contribui grandemente para a sua ascensão a nível nacional e mundial e a colocação do nome do país no nível mais elevado da modalidade.


Agradeceu todo o carinho que lhe foi dedicado em Angola para que hoje atingisse tal fama e se colocasse ao lado de grandes figuras do basquetebol mundial. O ex-basquetebolista internacional angolano entrou para o museu da fama pelos seus feitos ao logo da carreira como jogador.


De nome completo Jean-Jacques Nzadi da Conceição, de nacionalidade angolana, nascido em 3 de Abril de 1964 em Kinshasa, com 2,02 metros, praticou basquetebol entre 1982 e 2003. Iniciou no 1º de Agosto, passando depois pelo Benfica em Portugal, Unicaja Málaga em Espanha, Limoges em França e Portugal Telecom.


Conquistou com a selecção Angola sete Afrobasket, designadamente em 1989, 1992, 1993, 1995, 1999, 2001 e 2003. Representou a selecção também nos campeonatos do mundo de 1986, 1990 e 1994 e nos Jogos Olímpicos de 1992.


Em 2011, em Antananarivo, no âmbito das comemorações do 50º aniversário da FIBA África, Jacques foi nomeado o jogador de basquetebol mais valioso do continente.


Assistiram à cerimónia, na qual foram exibidas fotos dos momentos altos do basquetebol angolano, prestigiadas figuras do basquetebol mundial, diplomatas, promotores da modalidade e convidados ligados a outras disciplinas desportivas.


A Federação Angolana de Basquetebol fez-se representar pelo seu presidente, Paulo Madeira.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: