Luanda - A República de Angola tem potencialidades quer sob o ponto de vista de recursos humanos, materiais entre outras, para nos próximos anos poder ter uma indústria militar à altura de ir reduzindo gradualmente as suas importações e criando postos de trabalhos para os angolanos, afirmou neste fim-de-semana, em Luanda, o ministro da Defesa Nacional, Cândido Pereira dos Santos Van-Dúnem.

Fonte: Angop

O titular da pasta da defesa, falava em entrevista à Angop à margem da cerimonia oficial de lançamento da primeira edição da Feira Internacional da Industria de Defesa e Segurança ( FIDES ), que se realizará no espaço da Feira Internacional de Luanda ( FIL ), de 10 a 13 de Novembro deste ano.

De acordo com o governante "no âmbito daquilo que é a política do Executivo angolano em que precisamos definir estratégias no sentido da redução gradual das importações e depois do fim de longos anos de guerra, estamos a olhar para uma perspectiva mais segura para melhorar as condições de vida e trabalho dos efectivos militares e da nação em geral.

Para Cândido Pereira Van-Dúnem a projecção das Indústrias de defesa e segurança surge como um elemento que representa um factor de desenvolvimento não só para as Forças Armadas Angolanas mas para o país de uma maneira geral.

"Neste ano de 2013, sob a clarividente orientação do Presidente da República e Comandante-em-Chefe das Forças Armadas Angolanas, José Eduardo dos Santos, e inscrito no plano nacional do Governo, as indústrias de defesa serão lançadas no mês de Novembro", clarificou o ministro.

Segundo o governante, a FIDES será uma oportunidade para a divulgação de novos produtos, serviços e soluções tecnológicas do vasto universo da indústria de defesa e segurança e, uma excelente plataforma de criação e estreitamento de laços económicos e comerciais com outros países.

O evento que é uma organização do Ministério da Defesa Nacional e das Forças Armadas Angolanas conta com a parceria da FIL e de outros actores sociais, será um ponto de encontro privilegiado para a troca de experiência entre vários países, empresas e entidades nacionais e estrangeiras.

O certame que se realizará, sob o lema "Paz, Segurança e Desenvolvimento" contará com a presença de 27 países e 100 expositores numa área de 9.000 metros quadrados.

A exposição abrange áreas ligadas às indústrias de interesse militar, meios de intendência, química e afins, metalúrgicas, metálica-mecânicas de grande porte, alta tecnologia, metal ou mecânicas de pequenas e media dimensão e indústrias subsidiarias de petróleo, energia, educação, e águas.

O acto de lançamento que teve lugar sexta-feira, no Museu de História Militar (Antiga Fortaleza de São Miguel ), foi testemunhado pelo presidente do Conselho de Administração da Feira Internacional de Luanda, José Matos Cardoso, membros do corpo diplomático e adidos de defesa acreditados no país, oficiais generais e superiores do Ministério da Defesa Nacional e das FAA e convidados.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: