Lubango - Compatriotas, existem factos contra os quais não cabem argumentos. Pode-se enganar o povo camuflando as verdades por algum tempo, atirando para debaixo dos tapetes toda espécie de sujeira. Mas a história prova que a medida em que o tempo passa tudo vem a tona.

Igreja cria obstáculos às doações da UNITA

* Elias L. Chivangulula
Fonte: Club-k.net
            
A IESA é uma igreja centralizada na pessoa do seu presidente, Sr. Dr. Rev. Diniz Marcolino Eurico (MD), Actual reitor da Universidade Sinodal de Angola – USA, que tem em sua volta um comité executivo sem poder de decisão nenhum, por incapacidade intelectual da maioria dos membros deste, bem como por exagerado medo. É isso mesmo, os pastores e membros da IESA são dirigidos pelo medo. Ninguém tem coragem de confrontar erros dos homens nessas Igrejas, são todos coitadinhos.

Se não vejamos, como é que pastores em sã consciência permitem que um homem os proíba de darem aulas para sustentarem com dignidade suas famílias com argumentos teologicamente mal interpretados, dizendo que não é possível servir a dois Senhores, ao Governo e à IESA nesse caso, (só pode ser esse o escopo do texto deles, já que a Bíblia diz que o Apóstolo Paulo também Trabalhava arduamente para não se pesado a ninguém e para ter sustento suficiente, apesar de fazer o serviço de apostolado), quando esses homens, pastores da IESA, auferem salários de 3.000 kz a 15.000 kwanzas, alguns vão até um pouco mais além nos 60.000 kz, mas tendo na pessoa do seu presidente um homem rico?

Como é que o presidente da IESA tem a coragem de hoje ocupar o cargo de reitor da USA quando ele mesmo proíbe outros pastores de trabalharem?

Como é que o presidente da IESA proíbe que pastores trabalhem para ganharem um  salário mais digno quando, por uma fonte segura ligada a sí na IESA, por sinal um pastor, apuramos que o senhor possui, desde os tempos em que foi Director do Comércio Interno  durante o Regime do Partido Único, duas fazendas no Lubango, uma Na Tundavala e outra na Figueira a caminho do 16, duas casas arrendadas no centro da cidade, um apartamento no prédio da Indústria, a posse de um armazéns alugado, um alugado por uma empresa que vende Cervejas e Gasosas, frente ao Banco Rede Azul, três lojas no centro da cidade, uma casa arrendada em Windhoek, sociedade numa fábrica de gelo, um terreno ao lado do Shopping Millenio no Lubango, sem contar com as coisas que só ele sabe, tem ainda a seu favor a possibilidade de usar do dinheiro dessa denominação com mais de 120.000 membros, sem auditoria nem prestação de contas por parte de sua administração, fazendo negócios com o dinheiro da Igreja através de compra e venda de carros, uso das fazendas da Igreja sem prestação de contas, recepção de doações do General Kundy Paihama seu homólogo, por receber indulgências da parte desse reverendo.  O Homem é Rico, “Vijú”, guiando cegos. Perguntem a ele se não é detentor desses bens, pois as pessoas que o conhecem e têem domínio de documentos e dos locais aqui no Lubango afirmam categoricamente: “ O vosso pastor é muito rico, e perigoso. Cuidado, não se metam com ele”.

É normal que os tenha, e seria ainda muito bom que um pastor assim vivesse, se admitisse que os tem e não se fizesse passar de coitadinho para enganar a maioria, e seria também salutar se ele deixasse que os outros pastores, por meios próprios, trabalhassem para darem dignidade às suas famílias, ainda que não chegassem a ser tão ricos como ele o é. Mas o caso dele é bem diferente. Age como se fosse um coitadinho, mas no fundo é uma figura perigosamente ligada ao Comitê Central do MPLA, através do Ministro dos Antigos Combatentes.              

Como é que um homem tão rico como esse pastor é, com esses bens que se sabe, porque tem muito mais, pode em sã consciência permitir que seus obreiros deixem de dar aulas no estado para viverem miseravelmente como vivem, em nome de um evangelho inoperante e longe dos padrões de Cristo como a IESA vive? Isso é o que se ouve por parte de pastores insatisfeitos da IESA, pastores que estão ao redor dele e que afirmam que na IESA vivem como se fossem refugiados, e que o maior medo de todos é o momento da reforma. Pastores que vivem a murmurar contra o “chefe” que tem dinheiro para mandar os seus filhos formarem-se fora do país quando os filhos dos obreiros nem acesso ao ensino médio têm. Pastores que só não saem da IESA porque não têm outras opções, pois, a espiritualidade da Igreja está longe dos padrões Bíblicos há muito tempo.

Essa introdução à matéria que me proponho analisar é somente para observarem a índole do homem que dirige a IESA: Hipócrita, Tirano, Mentiroso, Carrasco, Irreconciliável e Maldoso. Não é atoa que seus filhos no Lubango não são exemplo algum paraseguir, com vícios e bebedeiras a maneira de uma família profana mesmo, pois o pai não tem cuidado “dos seus”.

IESA, REFLEXO DO MPLA

A IESA, ainda portando o nome de Igreja, teve a coragem de não receber as doações da UNITA porque o seu presidente expressamente proibiu que o responsável da IESA na zona afetada não recebesse. Na IESA nada se faz sem a permissão do seu presidente, desde uma simples reunião com algum governante à inauguração de uma sala de aulas ou sala de cultos. Tudopassa pela pessoa do seu presidente, que centraliza em si toda a gestão desse império. Portanto, o presidente ligou ao responsável no local para proibi-lo de receber essas doações, e de envolver com a UNITA, sob pena de suspensão. Porque tal acto afetaria a imagem da IESA perante o partido no poder, que interessa favorecer.

Se ainda existe alguém que não o saiba eu devo dize-lo: A IESA é a igreja onde o general Kundy Paihama é membro baptizado. Aliais, o General Kundy foi recentemente batizado pelo Presidente da IESA na sua fazenda. Ele não foi a Uma Igreja local para receber Batismo, a Igreja local foi ao seu encontro, e não foi o pastor da Igreja onde Kundy é membro, ou do Kipungo onde ele foi Batizado, tinha que ser o presidente, envergonhando totalmente o evangelho. Bom, se o general realmente se converteu ou não quem o sabe é apenas o pastor Diniz, já que militares que participaram dos tempos de guerra em Angola expressamente afirmam que aquele senhor era (e ainda é) portador de um dos maiores pactos e feitiços que o protegia durante a guerra.

Se a IESA depende completamente do pastor Diniz, ex- membro do comitê provincial do partido MPLA (e quem é do MPLA uma vez, se quiser continuar vivo e com influência, será para sempre MPLA, enquanto estiver no poder), e o Kundy Paihama é membro e amigo pessoal do Pastor Diniz, motivo pelo qual ele (Pr. Diniz) gaba-se e afirma que quem brincar com ele enquanto presidente da IESA vai desaparecer, surpreenderia alguém essa atitude da IESA?

Não surpreende enquanto mera organização social, mas assusta enquanto Igreja. Mas está melhor assim, a medida que o tempo passa as máscaras vão caindo, e todos vamos perceber que sim, A MAIOR RESPONSÁVEL DA DEGRADAÇÃO MORAL DA SOCIEDADE ANGOLANA SÃO AS IGREJAS. Ou Melhor: A Ausência delas. Porque Igreja como a que Jesus Cristo deixou, aquela que suplantaria às portas do Inferno, que promoveria o amor e a reconciliação, a promoção da verdade e da justiça, que portaria um poder sobrenatural que a capacitaria com ausência total de medo dos homens, sendo voz profética quando necessário, essa Igreja em Angola não existe. Repito, não existe. Pode estar incubada, mas não existe actuando ainda.  

A IESA e outras igrejas, mas nesse acto a IESA, deixou claro que não é uma Igreja, mas sim um clube social. Os clubes sociais têm sócios, os maioritários não devem ser decepcionados. O maior sócio da IESA é o Kundy Paihama que representa oMPLA dentro da IESA. Onde pessoas colocam expias atraz uns dos outros, ondeenvenenam pastores opositores, onde infectam pessoas com sangue contaminado com HIV, onde praticam feitiçaria livremente, onde há ódio e falta de reconciliação entre líderes, onde cada mafioso tem seus bens em segredo da maioria, SÓ PODE SER UM CLUBE SOCIAL DA PIOR CATEGORIA. Só falta um dia começarem a matar-se uns aos outros em praça pública, com atiradores profissionais escondidos, a mando dos “ PAPAS e Reverendos”. Isso está mal. Cópia do País.  

 Essa atitude da IESA É ausência total de espiritualidade cristã, e prova que estamos mesmo nos últimos dias, estamos chegando ao fim dos tempos, aonde o amor de quase todos se esfriará. O Nome da IESA perante o partido no poder é mais importante do que a vida daqueles pacatos cidadãos que morrem de fome, porque a constituição do MPLA é mais importante do que a Bíblia que eles portam debaixo dos braços.

Quando o medo silencia uma nação alguém precisa se levantar e dizer a verdade. E a verdade é o caminho de Cristo, pois ele disse que conheceríamos a verdade e ela nos tornaria em homens livres. É de lamentar que a insensibilidade tomou até conta do coração de pastores e de igrejas inteiras, que estão cegas. Satanás cegou o entendimento do Líder da IESA, pois a palavra de Deus, que eles pregam e crêem lá na IESA, pelo menos assim dizem e pregam nos seus programas na rádio 2000, afirma que satanás cegou o entendimento de todos os que não crêem. Não é só o entendimento dos mundanos, é o entendimento de todos os que não crêem. As igrejas em Angola não me motivam nem um pouco a acreditar que elas são detentoras de uma verdade eterna, profunda e transformadora como a que lemos nas Biografias de Jesus Cristo, chamadas de Os Evangelhos. E é de lamentar que atitudes como essas estejam a ser protagonizadas pelas maioresdenominações de Angola. Cada vez que ouvimos que a da IESA saiu a IECUA, saiu a ICESA, saem movimentos novos, há lutas de poder, expulsam membros que visitam outras Igrejas novas, mais me dou conta que o ateísmo será o próximo movimento que vai crescer em Angola. Pessoas há que se convertem agora ao Islamismo, mesmo residindo em zonas onde a IESA e outras Igrejas históricas são “ influentes”. É a decepção do evangelho em Angola que vai começar. Para ir a uma igreja dessas prefiro continuar em casa. Ou na Católica sendo hipócrita.

Agora, dá para compreender porque é que a comissão de estudo do fenómeno religioso, na Huíla encabeçada pelo presidente da IESA, aconselha sempre o governo a fechar as outras igrejas pequenas e não reconhecidas. Dá para compreender de onde vem a coragem para o bloqueio de todas as iniciativas divergentes à IESA. A coragem vem desse coração, apático em relação a miséria e sofrimentos humanos, e funcionando como escudo dos interesses partidários do MPLA.

Aonde vamos parar se até dentro das Igrejas angolanas o ceticismo se tornar num estilo normal de vida?

O mais grave ainda é a falta de democracia dentro da IESA. Ouvi de fonte segura (um pastor da IESA e outro membro do seu comitê executivo) que no último sínodo geral o presidente da IESA levou o seu comitê a abolir eleições livres e directas do presidente por parte de todos os membros, passando o presidente a ser eleito por uma minoria, uma chamada comissão restrita. Segundo esse pastor, a medida é para adequar os actuais estatutos da IESA à actual legislação em vigor no país, que confere poderes absolutos ao presidente da República. O presidente da IESA chamou para sí todo protagonismo.

Uma Igreja regida por leis dessa natureza, e outras ainda mais melindrosas, e que seus pastores adjuntos e líderes se mantêm calados perante atrozes acções, é uma cópia autêntica do partido no poder, o MPLA. O seu presidente deixou claro que a IESA tem que se adequar a forma de governação adoptada pelo MPLA. O mais caricato não é só ele afirmar isso. É que vários homens adultos, todos portando o livro preto debaixo do braço, que supostamente torna o homem livre, acenem a cabeça em sinal de aprovação, sem nenhuma contestação. Uma atitude como estas seria totalmente desaprovada por homens de Deus, verdadeiros. Mas aonde estão eles?

Da IESA já saíram algumas Igrejas e Vários movimentos religiosos. A IESA na região sul  é uma das maiores inspirações negativas para as pessoas, desde a sua forma de governo à sua espiritualidade, com acções vergonhosas dentro dela, tais como a expulsão de um ex- presidente, Pastor Ambrósio Fabiano sob acusação de feitiçaria, aos olhares do antigo Administrador Geral, na altura Dr. Diniz, que prometera ascender a presidência a todo custo, e o conseguiu, passando pelo Sr. Elizeu Júnior ex- evangelista agora fundador da IECUA no Lobito, indo para a ICESA, fundada pelo ex- presidente da IESA Pr. Ambrósio Fabiano e por um ex- membro do Comitê Executivo da IESA, pastor Sebastião Chiquete. Existem outros peixes pequenos que saíram da IESA, mas também vários pastores insatisfeitos. A maioria deles sem a coragem de se pronunciar, e seguindo um evangelho demagogo. Que triste miséria.

Se numa nação, a Igreja se forna completamente cega em relação ao sofrimento do  próximo para defender interesses políticos, então essa Igreja está perto do fim. Não fechará as portas, apenas dá mostras que o Deus ( factor impulsionador da Igreja Cristã no Mundo) há muito se retirou dela. Tornar-se-á em mais um império apagado, como a Igreja Católica, a Luterana, Anglicana, pois a IESA almeja o lugar que perdera ao lado da mesa do PR JES, lugar da honra de homens, sem se importar com o que Deus pensa.

Será que essa atitude de negar-se a participar de uma doação patriota da UNITA (já que não podemos dizer de amor, pois cada partido político tem a sua agenda para angariar militantes, e com legitimidade, pois eu votaria num partido com programa e acções sérias, nunca permanecerei fiel a um império em nome de favores temporais ) será justificada como algo normal?

E os membros da IESA pediriam contas aos seus irmãos dirigentes sobre mais essa vergonha?

É claro que não. Não existe intelectualidade suficiente que leve os seres humanos dentro destes grupos religiosos a reflectirem. As pessoas seguem, ainda que cegamente, aqueles que sempre os instruiram por um tempo no bom caminho, mesmo de depois erradamente os dirijam, ainda que os encaminhem ao erro, por ser essa a igreja dos pais, dos avós e dos missionários, melhor morrer nela.

IESA, abaixa o imperialismo. O tempo é mestre. Virá o tempo em que caireis com o MPLA, e a exemplo de Josué que faz aliança com os midianitas e fez os descendentes de Israel sofrem vários séculos depois, essa atitude vai render às gerações futuras da IESA muito sofrimento. Porque os governos todos são permissão de Deus. Chegará o tempo em que Deus se cansará de ouvir reclamações dos angolanos e tirará o JES e o MPLA do poder, e vos caireis com eles. Virão outros partidos no futuro desse país.

Se ainda vos resta algum tipo de seriedade, provai que estou errado na minha exposição, e vinde a público dar explicações e pedir desculpas à UNITA pelo sucedido, ainda que para tal tenhais que mentir e inventar uma desculpa, pois assim é vossa prática.

Tudo um dia terá fim. Até o que está oculto virá a tona.
Mas, Quando o medo Silencia uma Nação, Alguém Precisa se Levantar e Dizer a Verdade.
Lubango/ Angola.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: