Havia desde a semana passada,  suspeitas de que o jornalista fornecia informações  da empresa  ao portal do Club-k.net. As suspeitas tiveram como fundamento o facto de o club-k.net ter dado voz as questões revogadas pelos trabalhadores e pelo facto de o funcionario Rui Kandov ser jornalista de profissão.

A versão oficial, apresentada internamente, diz que  Rui Kandov foi afastado por excesso de faltas.

De recordar que a Ghassist  tem enfrentado inúmeras dificuldades em satisfazer  os interesses dos trabalhadores que tem clamado melhores condições laborais. Na primeira semana de Outubro, esses trabalhadores, fizeram uma greve que parou por intermédio do General "Kopelipa" (na foto) da Casa Militar que deslocou-se ao local apelando as partes para que encontrassem a melhor solução sem recurso a greve.

O Club-k, afirma que o jornalista expulso não esta conectado, a si, e  espera que o bom senso das hostes do regime reconheça este atropelo a lei laboral.

A Ghassist é a única  empresa de handling  a operar no aeroporto internacional “4 de Fevereiro” garantindo  assistência de  carga, correio, bagagem, serviços de rampa, serviço de limpeza de aeronave  e load control (despacho operacional, documentação de trafego e emissão de folha de carga e de balanceamento).

A Ghassist  tem  caracter privado envolvendo três accionistas nomeadamente a MACGRA, ENANA e TAAG. O PCA “Vinito” Gouveia é muito próximo ao General Kopelipa. Parte da direção são figuras ligadas a famílias do poder político. A Presidente da Mesa de Assembléia é a economista Maria Mambo Café, uma figura respeitada do MPLA ao que suporta a conotações segundo a qual a empresa esteja ligada ao grupo de subdiciaria pertença ao sector econômico do MPLA.

Fonte: Club-k.net



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: