Bíe - Vinte pessoas morreram, este ano, no município da Nharea, a 175 quilómetros a norte do Kuito (Bié), por ingerirem um produto venenoso tóxico denominado "bulungo", sob obrigação de supostos curandeiros, para a descoberta de indivíduos acusados da prática de feitiçaria nesta região.

Fonte: Angop
Em declarações à imprensa, o comandante da Polícia Nacional na província do Bié, comissário Eduardo Cerqueira, por ocasião da realização da III reunião técnica do Governo da Província do Bié, com os administradores municípais, que visou fazer o balanço das acções executadas no presente ano económico, asseverou que este mal geralmente é praticado nas comunas de Dando, Gamba e Lubia, assim como em algumas circunscrições de Luquembo, região de Malange.

Considerou, entretanto, "bulungo" um liquido venenoso e bastante tóxico para qualquer pessoa, acrescentando não haver outro resultado se não a morte imediata, situação que já  preocupa as autoridades governamentais da província do Bié e não só.

Neste momento, disse o comissário Eduardo Cerqueira, a Polícia Nacional deteve  dois indivíduos por suposta prática do uso dessa substância, sublinhando que os mesmos serão julgados e punidos, caso se confirme a sua culpabilidade pelo Tribunal, de acordo com a Lei vigente no país.

Em função da situação, a investigação criminal do Bié trabalha, neste momento, com as autoridades políciais da província de Malange, com o objectivo de se encontrar mecanismos que visam o desencorajamento das pessoas que insistem em tais actos, reprováveis na sociedade.  

O oficial comissário defendeu a necessidade do reforço da sensibilização e mobilização das autoridades tradicionais e entidades religiosas, no sentido de cooperar com as administrações municipais, comunais e órgãos de segurança, nas tarefas para o desencorajamento do uso do bulungo, como via para identificar pessoas tidas como feiticeiras nas comunidades.

“Estamos a ver pessoas responsáveis como pastores, professores, chefes de famílias que tem sido alvos deste tipo de acusações e a morrerem inocentemente a nível das embalas do município da Nharea e na localidade de Luquembo”, lamentou.

Em contrapartida, o Comando da Polícia Nacional, segundo a fonte, perspectiva a expansão das acções de sensibilização das populações dos municípios do Kuemba, Chitembo e outros, onde por sinal também acontecem, embora de forma isolada alguns casos.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: