Quito - Cinco diplomas legais serão encaminhados à Assembleia Nacional, pelo Executivo angolano, para a sua aprovação, de modo a permitir a melhoria institucional da juventude, no quadro do Plano Nacional de Desenvolvimento da Juventude para 2014 a 2017.

Fonte: Angop

O anúncio foi feito hoje, terça-feira, na cidade equatoriano do Quito, pelo secretário de Estado da Juventude, Nhanga Calunga de Assunção, quando apresentava, na 18ª edição do Festival Mundial da Juventude e Estudante, as estratégias do Executivo para esta franja da sociedade angolana.

Segundo o dirigente, trata-se do Observatório da Juventude, do Instituto da Juventude, da Lei da Juventude, do Regulamento do Associativismo Estudantil e Juvenil e do Estatuto de Dirigente Associativo, que deverão ser apreciados nos próximos tempos.

Para o secretário de Estado, que representou o ministro da Juventude e Desporto, Gonçalves Muandumba, o Executivo sempre prestou uma especial atenção a juventude angolana, porquanto ela esteve envolvida na luta pela independência, defesa da soberania, alcance da paz efectiva em Angola e no processo de reconciliação nacional.

“São os jovens que têm estado a lutar para manter a estabilidade social, económica e política do país e que têm dado votos de confiança ao MPLA e ao Presidente José Eduardo dos Santos, para continuar a dirigir os destinos de Angola”, lembrou.

Referiu que o Plano Nacional de Desenvolvimento da Juventude para 2014 a 2017 está consubstanciado em quatro programas de acção fundamental, que abarca a inserção dos jovens na vida activa, através da melhoria da formação profissional, acesso ao emprego e oportunidades no capitulo do empreendedorismo.

O segundo programa tem haver com a melhoria da qualidade de vida, garantindo o acesso a habitação, assistência de saúde, enquanto que o terceiro cinge-se a participação da juventude no desenvolvimento do país.

“Nesta vertente vamos contar com as associações juvenis, dotá-las de capacidade financeira e tecnológica para mobilizarem os outros jovens para os grandes objectivos do país”, explicou o responsável.

Por este facto, explicou que o país tem um programa bastante claro, com eixos de actuação bem definidos, a luz do Plano Nacional de Desenvolvimento, apresentado pelo MPLA aos angolanos aquando da campanha eleitoral de 2012.

Frisou que o Plano Nacional de Desenvolvimento abrange os jovens. “Por forma a aproximar os jovens aos programas e planos do Executivo, o Presidente da República, José Eduardo dos Santos, orientou um processo amplo de auscultação da juventude, que durante três meses envolveu toda a estrutura do governo e cerca de 55 mil jovens angolanos.


Revelou que o Executivo angolano orientou ao departamento ministerial de tutela para elaborar um programa concreto, que se reflecte nas preocupações da juventude.

“O Executivo tem capacidade e está mobilizado de uma forma integrada, para concretizar os objectivos constantes do plano nacional de desenvolvimento da juventude”, argumentou na presença do primeiro secretário nacional da JMPLA, Sérgio Luther Rescova Joaquim, que chefia a delegação angolana ao festival.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: