Ndalatando - O bispo católico da Diocese de Ndalatando, província do Kwanza Norte, Dom Almeida Kanda, considerou, nesta quarta, 25, o aborto como a "modalidade mais radical" de violação do direito à vida, solicitando os fiéis a reflectirem profundamente sobre as consequências de tal fenómeno para a harmonia das famílias e da sociedade em geral.

Fonte: Angop
Na sua homilia durante a missa de natal, dom Almeida Kanda disse ser importante que os cristãos encarem a referida celebração como ocasião especial para a promoção da vida e garantia do direito à vida, onde os cristãos são chamados a olharem a existência humana como um dom de Deus, abstendo-se da mentalidade abortista que constitui uma autêntica violação das leis da igreja e da sociedade.

“Toda mentalidade abortista contradiz e fere, em substância, o espírito natalino e aquilo que Deus pretende ao dar a vida, visto não ser possível o crescimento da humanidade com a destruição de vidas humanas e inocentes, mesmo antes de nascer”, manifestou o prelado.

Referiu que o abordo constitui a modalidade mais radical de exclusão social e de violência doméstica e a este propósito recordou o pensamento segundo o qual “ O seio materno deve constituir um berço e não um túmulo”.

Dom Almeida Kanda disse que o verdadeiro progresso cultural e de civilização consiste em promover a vida em todas as suas fases e dimensões, desde o começo até à morte  natural e nos trâmites físico, social, cultural e espiritual.

Considera ser importante que os cristãos sigam o exemplo dos pais de Jesus que no meio de dificuldades protegeram a vida que acabava de nascer, venceram a tentação de matar e assim colaboraram com o projecto de Deus, sendo um propósito que deve ser assumido por todos os fiéis no seio das famílias.

Considerou a árvore do natal como símbolo da vida, porque a árvore constitui um sinal de vida que não perece, sendo importante que os cristãos reflictam sobre a sua forma de proceder dentro das famílias onde todos podem encontrar espaço para se abrigar.

O prelado lamentou igualmente o facto dos cidadãos se preocuparem muito com o natal do consumismo em vez da partilha, promoção da dignidade da pessoa humana e defesa dos valores da vida.

Da referida celebração, decorrida na Sé Catedral de Ndalatando, participaram mais de uma centena de fiéis. Fundada em 1990, a Diocese de Ndalatando conta actualmente com nove paróquias instaladas, oito dos dez municípios que compõem a província do Kwanza Norte.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: