Congo - Homens armados atacam aeroporto e controlaram a  emissora no Congo. Rebeldes transmitem mensagem política contra presidente do país. Tiros são ouvidos em quartel e há reféns em prédio de TV. Um grupo de homens armados atacou o aeroporto e assumiu o controle da emissora estatal de TV em Kinshasa, capital da República Democrática do Congo, no que pareceu ser uma tentativa de tomada do poder por seguidores do líder religioso Paul Joseph Mukungubila.

 

Fonte: Globo & Reuters

A polícia montou um cordão de isolamento ao redor do prédio da TV pública, onde homens armados fizeram vários reféns, segundo relatos de jornalistas à Reuters. Testemunhas também relataram tiros dentro do quartel Tshatshi, perto do Ministério da Defesa.


O Congo, um vasto país no coração da África, tenta deixar para trás décadas de violência e instabilidade, especialmente no leste, uma região rica em recursos, onde milhões de pessoas já morreram por causa de fome e doenças evitáveis.

 

Ultimos relatos adiantam que confrontos ocorreram em Kinshasa e Lubumbashi.
Pelo menos 103 morreram, segundo o governo.


"O balanço é pesado, muito pesado (...) O balanço definitivo desta ofensiva terrorista é de 103 mortos, incluindo 95 terroristas e 8 elementos das Forças Armadas da RDC", declarou Lambert Mende, porta-voz do governo.


Segundo esta fonte, não havia "nenhum policial ou militar" entre o "bando de terroristas" que realizou os ataques.


O presidente da RDC, Joseph Kabila, desembarcou nesta terça-feira em Kinshasa procedente de Lubumbashi, um dia depois os ataques nas duas cidades.


O aeroporto internacional de Ndjili, a sede do Estado-Maior geral e o canal público de televisão foram atacados em Kinshasa por homens que afirmaram ser leais ao pastor Joseph Mukungubila Mutombo.


Mukungubila foi candidato na eleição presidencial de 2006, vencida por Kabila, e estaria, segundo o porta-voz da presidência, em fuga.


"Evaporou-se", disse Mende, acrescentando que o pastor é considerado agora "um fugitivo".



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: