Luanda - O secretário de Estado da Hotelaria, Paulino Baptista, considerou nesta sexta-feira, 07, em Luanda, a Transportadora Aérea Angolana (TAAG) uma parceira fundamental para a promoção do turismo nacional e da imagem do país, em geral, constituindo uma marca de orgulho para os angolanos, enquanto companhia oficial de bandeira. 


Fonte: Angop
“A TAAG, enquanto transportadora nacional de bandeira, é uma parceira  fundamental e uma imagem de orgulho para qualquer angolano, logo esta imagem de marca, lado a lado, com a promoção do turismo, devem fazer o marketing comercial e turístico da marca Angola”, referiu o governante por ocasião da assinatura de um acordo entre esta empresa e o INFOTUR.

Por este factor, Paulino Baptista manifestou-se satisfeito pelo referido protocolo para a dinamização da promoção do turismo e cultura do país, salientando que desta forma a representação cultural de Angola, ao estilo da angolanidade, será sempre um elemento a manter a favor da identidade nacional.

Para o secretário de Estado da Hotelaria, a assinatura deste  memorando representa a expressão de um elevado grau de responsabilidade e maturidade, em função dos grandes objectivos definidos pelo Executivo para o desenvolvimento da indústria hoteleira e turística nacional, que dependem de uma acção de promoção e de fomento forte e actuante para serem concretizados.

Por isso, expressou igualmente a sua satisfação pelo facto de a TAAG  e o Instituto de Fomento Turístico terem privilegiado, no protocolo, a comunicação social, visto que permitirá maior divulgação das acções  de promoção interna e externa.

“O marketing, para promover um destino, bem como a acção para a  captação de investidores, são bastante onerosos e quase que não existem orçamentos para dar corpo aos custos desta operação, logo os  investimentos neste campo do marketing e da promoção não podem ser vistos como um custo, mas como benefício ou um investimento a longo prazo”, alertou.

Adiantou que o turismo é sim uma indústria geradora de emprego e de renda, mas que a sua pratica exige do homem, do povo e do país receptor atitudes que criam valores de fidelidade entre o turista e o destino, quer nacional ou estrangeiro.

Paulino Baptista, que representou na cerimónia o ministro da Hotelaria  e Turismo, Pedro Mutindi, recordou que, desde 2011, o país passou a ter uma estratégia nacional do turismo -  um plano director, no qual constam as linhas de actuação da indústria do turismo de Angola, as acções sobre o mercado nacional, regional e internacional.

Acrescentou que esta estratégia está assente numa base de promoção de Angola, não apenas como uma marca, mas como um destino turístico de excelência, a julgar pela grandeza dos recursos favoráveis ao desenvolvimento sustentável da indústria do turismo, mas que para a sua materialização necessita-se de um intensivo trabalho de promoção.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: