Luanda -  O Banco Mundial (BM) vai disponibilizar ao Governo angolano mil milhões de dólares (733,3 milhões de euros) para apoio a projetos de infraestruturas e agricultura, anunciou hoje o diretor de operações para Angola daquela instituição financeira.

Fonte: Noticias

Gregor Binkert falava aos jornalistas à margem da conferência sobre "Financiamento às Infraestruturas, à Agricultura e Agroindústria", realizada hoje em Luanda pela Agência Nacional de Investimento Privado (ANIP).

Segundo Gregor Binkert, o BM está a apoiar o Governo angolano na execução do Plano Nacional de Desenvolvimento 2013-2017, que classificou como "bem coerente".

"Há muitas necessidades e o Governo tem um programa bem coerente e o BM vai apoiar financeiramente, através do Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), que é a peça chave do BM", adiantou o responsável.

Projetos de agricultura, familiar ou comercial, incluem-se no anunciado financiamento, referiu o diretor de operações para Angola do BM.

"Vamos definir nos próximos meses quais as prioridades, os mecanismos e como podemos otimizar os recursos do BM", frisou Gregor Binkert, acrescentando que a disponibilização desta verba pode servir garantia para a implementação de uma "engenharia financeira".

"Com essa garantia pode-se alavancar mais financiamento do setor privado, ou seja, dos bancos, mas também fundos de pensões que queiram investir, sejam banco nacionais ou internacionais que querem investir em Angola através destes projetos de infraestruturas", exemplificou.

O fomento da agricultura em Angola é prioritário, segundo Gregor Binkert, e fundamental para combater a pobreza e criar empregos. "É muito importante, porque há muita população que trabalha na agricultura", apontou.

Além do Governo, o BM vai igualmente reforçar a colaboração com o setor privado angolano, onde existem "várias oportunidades". 

"Também vamos fazer a reflexão junto com o Governo, de como podemos melhorar isso, para reforçar o setor privado, entrar na construção, na execução deste programa de investimento do próprio Governo. Vamos fazer esta reflexão", disse



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: