Luanda - O novo cartão pré-pago do Banco de Poupança e Crédito denominado "Gingongo", lançado, quarta-feira, em Luanda, pelo seu presidente do Conselho de Administração, Paixão Júnior, entra em circulação em Agosto, informou a administradora da instituição para área de Serviços Eletrotécnicos, Fátima Silveira.

Fonte: Angop

A responsável prestou este esclarecimento durante o lançamento do novo produto, na 31ª edição da Feira Internacional de Luanda, afirmando que o BPC é um banco eminentemente virado para seguimentos a particulares e o mesmo vai ajudar bastante, porque muitos dos clientes do BPC procuram moeda estrangeira para levarem durante as viagens.

“Existem muitos cartões pré-pagos no mercado angolano, mas com essas características só o BPC tem”, sublinhou, recordando que para aderirem a estes serviços o interessado deve apenas cumprir as regras definidas pelo órgão regulador.

A maior bolsa de negócios de Angola foi aberta terça-feira pelo ministro da Economia, Abrahão Gourgel, na presença de convidados como o vice-primeiro-ministro de Portugal, Paulo Portas, e o titular da pasta do Turismo, Energia e Indústria da República de Cabo Verde, Umberto Brito.

A Filda é um evento multissectorial de exposição e negócios que junta anualmente, desde 1983, empreendedores nacionais, da África, América, Europa e da Ásia para exporem produtos e serviços, assim como para contactos de parcerias.

Esta edição, que tem como lema "Os desafios de atracção de investimentos: estratégias, legislação, instituições, infra-estruturas e recursos humanos", tem como principais objectivos a captação de investimentos nacionais e estrangeiros de modo a potenciar o mercado angolano com bens e serviços, introduzindo, cada vez mais, novos produtos e serviços e promover o desenvolvimento sustentável de Angola.

Participam pela primeira vez na 31ª edição da Filda o Zimbabwe, Quénia, República Checa e o Vietname, num total de 41 países, incluindo o anfitrião, Angola.

BPC trabalha para baixar taxas de jur

O Banco de Poupança e Crédito tem estado a trabalhar para a redução das taxas de juros, sempre que existam condições para o efeito, informou, quarta-feira, o seu Presidente do Conselho de Administração, Paixão Júnior.


O responsável disse que este é o exercício que tem estado a fazer, respondendo a alguns apelos e orientações do Banco Central.

Referiu que alguns clientes reclamam das percentagens dos juros no mercado angolano, considerando-as ainda altas, entretanto explicou que estas ainda são elevadas por muitas vezes se fazer recurso ao mercado financeiro internacional, sendo que, além da taxa de juros normal se exigem comissões.

Quanto à tabela de juros, o Presidente do Conselho de Administração do BPC disse que varia entre 14 e 12 %, para as operações até três anos, quando anteriormente era de 18% ou 19%.

Esta redução deve-se aos ganhos verificados na economia nacional, com um processo mais “agressivo” da moeda nacional, justificou.

O responsável bancário frisou que hoje se fala de uma taxa de inflação de cinco porcento ao ano, contrariamente ao passado em que era superior a cem porcento, o que é histórico, devido ao fortalecimento da economia nacional e da melhoria dos preços.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: