Nova Iorque – O embaixador de Angola na República da Guiné Conakry, Eduardo Ruas de Jesus Manuel, vulgarmente conhecido por “Manuel Ruas”, refuta-se a liquidar – há mais de dois anos – um empréstimo de 155 mil dólares norte-americanos, solicitado a um empresário daquele país (residente em Luanda) de nome Hamidou Conde.  

Presidente Alpha Conde deixou de o receber por causa do assunto
Fonte: Club-k.net
Embaixador Manuel Ruas.jpg - 22.47 KBO vultuoso montante foi-lhe concedido a 31 de Março de 2012, em cache, pelo cidadão guineense, com a promessa de reembolsar 10 dias mais tarde, como faz referência uma declaração assinado por ele, a que o Club-K tem acesso.      

De acordo com a declaração (redigida em francês) em nossa posse, o embaixador Manuel Ruas evocou – na altura – que o valor solicitado ao empresário guineense Hamidou Conde serviria para a compra de uma residência no município de Viana, em Luanda.

“Comprometo-me em reembolsar o montante em 10 dias”, pode se ler no documento assinado em Luanda igualmente por duas testemunhas, igualmente de nacionalidade guineenses, nomeadamente Camara Mory e Fofana Baba, em anexo.

O referido empréstimo milionário foi efectuado dois meses depois do embaixador Manuel Ruas ter apresentado na cidade de Conakry, as suas Cartas Credências (a 16 de Janeiro de 2012) ao Presidente Alpha Conde, para se tornar no primeiro embaixador plenipotenciário da República de Angola na Guiné Conakry.

Sabe-se que meses depois do incumprimento do prazo inicialmente estabelecido, Manuel Ruas elaborou uma outra declaração (em francês) assinado a 10 de Maio de 2012, em Luanda, onde declarava que “o reembolso de 155 mil dólares ao senhor Hamidou Conde será efectuado até, mais tardar, no dia 30 de Maio de 2012”. Desde aquela data nunca mais manteve qualquer contacto com o seu credor.

O Club-K soube de uma fonte que a situação tem vindo a indignar a maior parte dos funcionários angolanos que se encontram – a trabalhar – naquele país, uma vez que a par Hamidou Conde, Manuel Ruas contraiu paralelamente outras dívidas (de 10 a 20 mil dólares) a outros empresários daquele país, que se manifesta(ra)m imigrar a Angola, com intuito de os facilitar os vistos de entrada.

“Todos os dias aparece na sede da embaixada um ou mais cidadãos guineenses a cobrar dívidas ao senhor embaixador”, adiantou a fonte deste portal noticioso a partir de Conakry. Acrescentando “em alguns casos ele [Manuel Ruas] encaminha-os para área das finanças para que as mesmas sejam liquidadas”.

Este portal apurou ainda que a dívida que Manuel Ruas contraiu a Hamidou Conde chegara aos ouvidos do Presidente da República daquele país. Um certo dia Alpha Conde convocou o embaixador angolano ao palácio presidencial e ordenou-lhe que restituísse os 155 mil dólares a este empresário (que agora encontra-se em situação de falência).

Este, na altura, garantiu que reembolsava no prazo de uma semana. Passado o prazo estabelecido, o Presidente Alpha Conde convocou-o novamente orientando o reembolso dos mesmos valores. Na altura, o embaixador angolano voltou a estipular um novo prazo, sem, no entanto, cumprindo-o.

Após o incumprimento, o Presidente Conde – desrespeitado – decidiu excluí-lo da lista dos embaixadores da sua confiança. “Ele [Alpha Conde] já não aceita lhe convidar para uma actividade governamental daquele país, muito menos lhe receber em audiência”, assegurou a fonte, salientando que este triste episódio tem vindo abalar indirectamente as boas relações existentes entre os dois países (Angola e Guiné Conakry).
 
De salientar que Manuel Ruas (antigo responsável das Relações Internacionais do MPLA) foi nomeado a 28 de Junho de 2011 pelo Presidente José Eduardo dos Santos. Contactado, telefonicamente, pelo Club K, o embaixador Manuel Ruas disse só prestava declarações depois do feriado de 11 de Novembro.

Fac simile.jpg - 1.81 MB



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: