Lisboa –  O debate  na especialidade, sobre a proposta de OGE para 2015 que teve lugar esta sexta-feira (20), em Luanda foi marcado por  um acto insólito em que o próprio MPLA através da sua bancada parlamentar encostou  a parede um dos seus ministros deixando-o numa situação constrangedora.

Fonte: Club-k.net 

Isto é, no momento das interpelações,  uma corrente da  bancada parlamentar do MPLA, liderada pelo  deputado Monteiro Pinto Kapunga colocou ao  Ministro da Construção, Waldemar Pires Alexandre questões  sobre o quadro critico  das reabilitações  das segundas e terceiras vias das estradas no interior do país.

Kapunga falou concretamente  da centralização de algumas ações que no seu ponto de vista poderiam ser efectuadas pelos governos províncias, sobretudo as vias de comunicação. ( As referidas vias estão sob alçada do governo central)

Ao revelar-se pouco convencido com as argumentações do titular da construção, o deputado do MPLA perguntou-lhe se conhecia quantos municípios  tem o país e qual era o seu quadro  em termos de reabilitação das vias.  

Por sua vez, o ministro Waldemar Pires Alexandre respondeu que tinha tomado boa nota das questões colocadas e que muitas das preocupações apresentadas faziam parte da carteira de projectos estratégicos.  

No decorrer das suas breves palavras, o ministro Waldemar Pires contou com a solidariedade do seu colega  das finanças, Armando Manuel  que o ajudou a justificar algumas ações.  Ambos  fizeram saber que  o OGE de 2015, apresenta  projectos novos para as províncias que os organismos ministeriais não poderiam ter.

No fim o deputado   Monteiro Pinto Kapunga  “ofendeu”  a oposição, chamando atenção sobre o papel de deputado. Disse ainda que os deputados da sua bancada defendiam  o executivo uma vez que foi o MPLA quem ganhou as eleições. 

De lembrar que neste debate de especialidade estiveram presentes os governadores provinciais e alguns mininistros, uma vez que optaram fazer-se representar através dos seus Secretários de Estado.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: