Em declarações à Angop, por ocasião do Dia Internacional da Liberdade de Imprensa, a assinalar-se a 03 de Maio, os jornalistas afirmaram que a liberdade de imprensa é de grande importância para o processo de desenvolvimento do país, para a democracia e a sua própria economia.

"Hoje, já se nota uma certa liberdade. Mas temos a plena certeza de que, com os passos que Angola está a dar rumo à concretização da democracia, daqui há mais alguns anos pressupõe-se, depois das eleições, que haverá aquilo que se chamará de verdadeira liberdade de opinião e de pensamento", afirmaram.

Os jornalistas foram unânimes em afirmar que com o exercício de um jornalismo investigativo e pluralista ver-se-ão apontadas muitas das questões que preocupam as populações e equacionadas soluções em seus benefícios.

O jornalista da Televisão Pública de Angola (TPA), Zacarias Bungo, sublinhou que hoje as pessoas podem já ser mais objectivas na avaliação do estado da liberdade de imprensa, baseadas no pluralismo e na existência de vários órgãos de comunicação social, embora ainda não em números desejáveis.

Joaquim Artur, da TPA, disse existir liberdade de imprensa, e se faz presente no dia a dia dos profissionais, a mesma existe nos jornais privados que escrevem e publicam todo tipo de informação.

De acordo com o profissional na matéria, houve uma grande evolução no jornalismo angolano permitindo assim que os canais de diálogo e debates se mantenham abertos e firmes.

Armindo Ngola, também da televisão, é de opinião que esta celebração é discutível, salientando que apesar de tudo deveria existir mais aberturas na área de informação.

Por outro lado, Lígia Fortes, da Rádio Nacional de Angola (RNA), disse existir liberdade de imprensa, porquanto já se consegue amplas informações.

"Esperamos que esta liberdade seja cada vez mais compacta para que possamos nos orgulhar dos trabalhos da comunicação social", referiu.

Instituído há 15 anos pelas Nações Unidas, o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa é comemorado, em todos os Estados do globo.

Precisamente, aos 03 de Maio de 1991, na Namíbia, entrava em vigor a declaração de Windhoek, com o propósito de salvaguardar o estabelecimento, em todo o universo, de uma imprensa livre, independente e pluralista.

Fonte: Angop



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: