Lisboa – O tema das eleições no Conselho Nacional da Juventude (CNJ) previstas para Março próximo, em Luanda, está a ser acompanhado com o reativamento de antigas apreciações a cerca da rivalidade institucional entre o líder da JMPLA, Sergio Luther Rescova Joaquim, e o presidente cessante do CNJ, Cláudio Brito de Aguiar.

 Fonte: Club-k.net

Estão a apoiar candidatos diferentes

A relação entre os dois líderes juvenis como sempre vistas como de   “rivalidade política” tendo em conta que o presidente cessante do CNJ, Cláudio Aguiar, apesar de militar na JMPLA,  procura mostrar-se se independente da juventude do partido no poder. A ala de Sérgio Luther Rescova, interpreta a sua independência como uma “desobediência política”.

Recova  e Aguiar, segundo constatações, poderão estar  novamente em campos opostos, uma vez que são lhes atribuídas pretensões de apoiarem  dois diferentes  candidatos  as eleições para a presidência do CNJ. 

Sérgio Luther Rescova é citado como estando inclinado na candidatura de um delfim, Elsio Carlos Manuel, seu cunhado e ex-director Nacional de Politicas da Juventude do Ministério da Juventude e Desporto de Angola. 

Claudio Aguiar é igualmente referenciado como estando a fazer gosto de ter como sucessor no CNJ, o secretário para Informação e Marketing da organização, Lopes Trigo que é igualmente líder da Liga Juventude Lusofona (LJL).

Fundado a 4 de Outubro de 1991, o  Conselho Nacional da Juventude (CNJ) é uma espécie de plataforma juvenil que congrega cerca de 38 organizações de várias índoles, políticas, religiosas, ambientais, estudantis e etc. Embora tem uma direcção directiva, o “modus operandi” do CNJ é considerado de “poder centralizado” unicamente nas mãos do seu presidente cessante, Cláudio Aguiar.

Apesar de Cláudio Aguiar se revelar algumas vezes independente da sua militância ao MPLA,  foi porem, no ano de  2011, que foram conhecidas acusações públicas do então secretário geral da juventude da UNITA, Mfuka Muzemba, alegando que “o CNJ está a ser constantemente instrumentalizado pela juventude do MPLA”.

Em função de  acusações do género uma corrente de organizações associada ao CNJ e com ligações a Igreja Católica de Angola revela-se distanciada das pretensões de apoiar canditados apadrinhados politicamente por Luther Rescova, ou do seu “rival”  Claudio Aguiar.

De acordo com  informações cuja veracidade não está apurada, mas que se considera fazer “sentido”, a pretensão das associações regiliosas está inclinada numa candidatura mais independente ou neutra ao regime da qual é  apresentado  um jovem, Walter Ferreira,  da Paroquia Nossa Senhora de Fatima vulgo “São Domingos”.

Ferreira,  segundo um levantamento,  é  para além de católico, oriundo de famílias tradicionais em Luanda e  próximo ao movimento cívico na capital do país.  Diz-se ser da estima do  sociólogo João Paulo Nganga. 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: