Luanda - O ativista de direitos humanos, José Marcos Mavungo, coordenador de uma manifestação marcada para hoje na província angolana de Cabinda, foi detido pela polícia, disse à Lusa fonte da organização não-governamental Mãos Livres.

Fonte: Lusa

Em declarações por telefone à agência Lusa, o representante da associação Mãos Livres em Cabinda, Simão Madeca, disse que José Marcos Mavungo foi detido às 07:00 locais quando se dirigia à igreja Imaculada da Conceição para assistir à missa.

Em causa está a realização de uma manifestação contra a má governação e as violações dos direitos humanos no enclave angolano, que não foi autorizada pelo Governo Provincial de Cabinda.

"Meteram-no no carro da polícia e até aqui não temos a informação para onde foi levado. Mas para além do José Marcos Mavungo recebemos a informação que o advogado Arão Tembo (outro dos organizadores da marcha) foi impedido de viajar para Ponta Negra (na vizinha República do Congo)", informou.

Ainda segundo Simão Madeca, um outro ativista, Aram Teca, encontra-se na fronteira do Massabi, no gabinete do diretor da direção provincial de investigação criminal.

O representante da Mãos Livres em Cabinda acrescentou que é visível um forte aparato policial na cidade, concluindo não haver pelo facto condições para a realização da marcha.

A marcha, cujo início da concentração estava marcado para às 13:00, no Centro Cultural Chiloango, iria percorrer várias artérias de Cabinda até ao local da assinatura do Tratado de Simulambuco, onde deveria ser lida uma Declaração da Sociedade Civil de Cabinda.

A Lusa contactou o porta-voz da Polícia Nacional, Aristófanes dos Santos, mas não obteve resposta.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: