COMUNICADO da ATS - Casa de Cabinda em Portugal, sobre as Detenções de Activistas de Direitos Humanos em Cabinda, em 14.03.2015

Lisboa - A Associação Tratado de Simulambuco-Casa de Cabinda em Portugal, vem manifestar o seu mais profundo repúdio, pela situação de extrema gravidade, que se torna a viver em Cabinda, com a detenção, de novo, de conceituados Activistas de Direitos Humanos e Membros da Sociedade Civil de Cabinda.

Fonte: ATS

Vimos assim informar, em que circunstâncias foram detidos, o Dr. José Marcos Mavungo e o Dr. Arão Bula Tempo. O Dr. José Marcos Mavungo, foi detido nesta manhã de sábado, dia 14.03.2015, pela Policia da Ordem Pública, junto ao recinto da Igreja Católica Imaculada Conceição, em Cabinda, quando se dirigia à sua habitual missa matinal. O Dr. Arão Bula Tempo, foi por sua vez detido, também, nesta manhã de sábado, dia 14.03.2015, pela Polícia da Segurança do Estado, em Cabinda, quando se dirigia a uma consulta médica.

O Dr. José Marcos Mavungo, é licenciado em Filosofia e Economia, e um conceituado Activista de Direitos Humanos, e o Dr. Arão Bula Tempo, é um reconhecido Advogado e Jurista, nomeado pela Ordem dos Advogados Angolana, como Presidente do Conselho Provincial da Ordem dos Advogados de Angola em Cabinda, sendo, portanto, o representante máximo, em Cabinda, da Ordem dos Advogados Angolana.

Ambos estão agora detidos, no antigo edifício da PIDE, em Cabinda, e a serem interrogados, por uma Delegação da Presidência da República de Angola, vinda expressamente de Luanda para esse fim.

A Associação Tratado de Simulambuco-Casa de Cabinda em Portugal, vem condenar veementemente, mais uma vez, o atropelo à Justiça e aos Direitos Humanos em Cabinda, exigindo a reposição da justiça, e a imediata libertação dos detidos.

Em representação dos Membros de Direcção da Associação Tratado de Simulambuco-Casa de Cabinda em Portugal,

Manuela Serrano (Membro de Direcção)

Lisboa, 14 de Março de 2015.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: