Lisboa –  O Chefe do Serviço de Inteligência e Segurança do Estado (SINSE),  Eduardo Filomeno Barber Leiro Octávio  remeteu recentemente a Casa de Segurança da PR, propostas que resultaram no afastamento de cerca de sete directores nacionais,  alguns deles mandados para casa até segundas orientações.  Os novos quadros nomeados tomaram posse no dia 18 do corrente mes.

Fonte: Club-k.net

De acordo com constatações foram afastados os directores das direções de  áreas chaves  como terrorismo, recursos humanos, eventos,  serviços gerais, Tecnologias de Informação e Comunicações,  entre outras.

 

Santos Sebastião Garcia, um veterano general  que  esteve a dirigir  a Direcção de Investigação Especializada (também conhecida internamente  por área de  observação visual) foi exonerado e licenciado  à reforma por limite de idade, conforme uma ordem (n.º 3/15), assinada por José Eduardo dos Santos, nas suas vestes de Comandante-Em-Chefe das Forças Armadas Angolanas (FAA).

 

O general Santos Garcia foi substituído no cargo por Mateus Vilembo,  um alto funcionário que até pouco tempo era o Director  de Apoio Técnico Operativo (também conhecida por área  de eventos, que se dedica ao reconhecimento e acompanhamento de comícios, actividades culturais, manifestações  e etc).  Vilembo é reconhecido como tendo uma vasta experiencia em matéria de inteligência. Já dirigiu por três anos a direção da Luta Contra Subversão Política e Social do Serviço de Informações.

 

Foi também nomeado um novo  Director Nacional dos Recursos Humanos, Marques da Silva Chiva em substituição de José Roldão Teixeira.  O director Marques Silva era até pouco tempo o  delegado provincial do SINSE, na Huíla

 

O substituto de Marques Chiva, na Huíla é  o académico Mateus Sipitaly,  que chefiava a direção de Política Social e antigo  delegado provincial no Huambo. Anteriormente especulou-se que Sipitaly seria despromovido para director adjunto Gabinete de Estudos e Planeamento,  para render  um quadro superior  identificado por “Nelito”, o que não se verificou.

 

Hermenegildo Nelson, um quadro que até pouco tempo funcionava no Comando geral da Policia em Luanda foi convidado para se tornar no novo Director dos Serviços Gerais e Apoio Social do SINSE, em substituição de Sérgio António Casimira Alexandre que estava no cargo desde Setembro de 2006.

 

Um quadro sénior identificado por “Antas”, e que no SINSE desempenha as funções de delegado adjunto na província de Cabinda, foi chamado a Luanda para exercer o cargo de  director nacional  do contra-terrorismo e crime organizado.

 

Estas foram as primeiras mudanças ocorridas no SINSE desde a saída do antigo director, Sebastião Martins. A nomeação dos mesmos foi encorajada pelo Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, general Manuel Hélder Vieira Dias Júnior «Kopelipa»    que tem a  tutela do aparelho de Segurança.

 

Antes das nomeações,  o general “Kopelipa”,  tomou  conhecimento sobre anomalias que estariam a ocorrer em diferentes áreas  do SINSE,  levando-o a abordar  o seu director-geral Eduardo  Barber  Octávio. 

 

 “Kopelipa” teria  advertido ao DG do SINSE para que procedesse  vastas mudanças internas, caso contrario, seria ele a promover o seu afastamento da liderança desta instituição de inteligência domestica.

Tema relacionado:

Remodelação do SINSE na agenda do novo DG



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: