A iniciativa de jogo pertenceu à selecção anfitriã, tendo o primeiro lance de perigo sido protagonizado por Sonito aos dois minutos, com remate para a defesa de Lamá.

Três minutos depois, na sequência de um cruzamento efectuado por Job, Santana falhou no cabeceamento. Love Kabungula, um dos avançados que entrou de início, foi travado em falta e beneficiou de um livre directo não concretizado por Minguito.

Instantes depois, Moçambique, por intermédio de Hélder, rematou para cima a escassos centímetros da trave de Angola quando ja se gritava golo.

Angola abriu o activo aos 24 minutos por Love, após passe de Job que passou com facilidade pelos defesas da equipa do índico. Este tento silenciou o estádio que registou uma presença de cerca de 12 mil pessoas.

Após o golo, o médio moçambicano Tó, com a baliza de Angola já desguarnecida, chutou mas a bola foi embater no corpo de um defesa dos Palancas Negras.

Os Mambas empataram o jogo quando estavam decorridos 29 minutos. Sonito cabeceou, certeiro, após receber a bola de Panuque. Com o tento da igualdade, o público voltou a despertar, o que previa uma grande emoção nos minutos seguintes.

A igualdade permitiu algum equilíbrio, tendo as duas equipas centrado o jogo no meio campo. Yamba Asha, capitão do onze nacional, aos 37 minutos, perdeu a bola no meio campo e obrigou Lamá a efectuar uma defesa que poderia causar a marcação de grande penalidade.

Na etapa complementar, Angola fez a sua primeira substituição ao tirar Job e para o seu lugar Fofaná. Durante cerca de dez minutos, os Mambas controlaram o jogo e só não marcaram devido a sucessivas falhas dos seus jogadores, bem como o estado do relvado que por diversas vezes retirou velocidade à partida.

A equipa técnica de Moçambique efectuou duas substituições seguidas, ao tirar Alvarito e Hélder Pelembe e para os seus lugares Ruben e Josimar, que deram outra vida ao meio campo e ataque, respectivamente.

O médio Miloy entrou para o lugar de Tunga, quando estavam jogados 58 minutos.

Por seu turno, Sonito, autor do tento moçambicano, teve mais oportunidades para marcar, mas foi pouco eficiente. Aos setenta minutos, foi rendido por Hélder, devido à lesão causada num choque com Miloy.

Oliveira Gonçalves apostou no ataque, ao colocar Chinho para o lugar de Love, a onze minutos dos noventa.

No tempo de compensações, os Mambas “sufocaram” a defesa angolana, ao virarem todo o seu jogo para o ataque, sem ter êxitos na finalização, devido a intervenções seguidas do guarda-redes Lamá.

Fonte: Angop



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: