Luanda – Investigações preliminares em torno do   grupo de jovens que recentemente agrediu  a cidadã Nikilauda Vieira Dias Galiano “Neth”, numa  unidade hoteleira em Luanda, levantam fortes suspeitas de que as mesmas sobrevivem desenvolvendo actividades que se assemelham a de “garotas de programas”.

 

Fonte: Club-k.net 

Acompanham dirigentes do MPLA nas viagens de serviço 

De acordo com as investigações, as mesmas não dispõem de um trabalho fixo pelo que são frequentemente vistas a levarem uma vida de acompanhantes de viagens de dirigentes do MPLA ou de empresários próximos ao regime. Elas também são dançarinas de “danças sensuais”, em festas privadas ou discotecas, em Luanda.

 

Umas das agressoras, Neth Nahara, moradora do bairro Zango, em Luanda, foi vista, no mês passado, numa discoteca, em Portugal, acompanhada de um empresário próximo ao regime. Neth Nahara é tida como a amiga que teve a ideia de introduzir jindungo nos órgãos genitais  da sua chara, "Neth" Galiano. Em meios lhe são próximo a mesma tem se  defendido dizendo que apenas colocaram o jindungo nas laterais e não no interior das partes íntimas da ex-amiga. A outra amiga agressora é Indira  Neto que esta sendo procurada pela Policia Nacional.

 

Estas jovens agressoras fazem desta actividade a sua fonte de sobrevivência razão pela qual, uma delas de nome “Jussila” sentiu-se traída e ameaçada quando soube que a amiga “Neth” Galiano , estaria a fazer-lhe concorrência desleal ao manter relações de proximidade   com o dirigente do MPLA e consultor do ministério das finanças, Miguel Catraio.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: