Joanesburgo – O Músico e compositor angolano, Bernardo Jorge  Martins Correia  “Bangão” faleceu na madrugada deste domingo (17), vitima de doença do fórum hepático, no hospital Louis Pastor, de  Pretória, na República da África do Sul.

Fonte: Club-k.net

“Bangão” foi em Fevereiro passado, evacuado para este país, por decisão dos Serviços de Apoio a  Presidência da Republica  que decidiu apoia-lo, depois de terem sido informados   que o músico lutava pela vida no hospital Josina Machel em Luanda.

 

Há  poucas semanas atrás, a equipa de médicos sul africanos que o assistiam, informaram que na sequência da detecção de um câncer em estado avançado e que teria se ramificado até aos pulmões, o mesmo estaria em fase de contagem regressiva.

 

Foi, precisamente há cerca de quatro dias, antes da sua eterna partida que o músico havia deixado de falar entrando em coma. Antes deste período, ele solicitou aos médicos que lhe deixassem ir para Angola, a fim de encarar a morte em solo pátrio, o que não foi autorizado por se encontrar bastante fragilizado (ausência de imunidades) e sem condições de viajar. Teria também chamado a sua esposa, que o acompanha pedindo para cuidar dos seus filhos mais novos. O músico disse a ela tinha a certeza que tinha a certeza que desta vez não resistiria.

  

Dono de uma longa e rica carreira artística, como refere a comunicação social angolana, Bangão é um dos músicos mais referenciados do mercado nacional, fruto dos seus dois últimos discos “Sembele” e “Cuidado”.

 

Exímio executante do estilo semba, que no suporte textual das suas canções apresenta narrativas autênticas de ocorrências do quotidiano angolano, Bangão pisou pela primeira vez um palco a 18 de Outubro de 1978, como elemento do grupo os Gingas Kakulo Kalunga.

 

Na sua carreira artística, passou pelo agrupamento “Tradição”, em 1974, que integrava, entre outros, Alaito (tumbas) e André Lua (voz).

 

De 1976 a 1977 integrou, como vocalista, o grupo Processo de África, com Guncha (tumbas), Artur Décimo (viola baixo), Alaito (bateria) e Abílio (viola ritmo). No entanto a sua primeira grande aparição pública ocorre a 18 de Outubro de 1978, como integrante do grupo Os Gingas Kakulo Kalunga.

 

Em 1996, venceu o prémio Liceu Vieira Dias, com o tema “Kibuikila” (Peste), acompanhado pela Banda Movimento. Em plena ascensão da carreira Bangão é convidado, em 1999, a fazer parte da Banda Movimento, sempre como vocalista.

 

No mesmo ano, ganhou a primeira edição do concurso Semba de Ouro, com a canção “Kangila” (pássaro agoirento) e afirmou-se como cantor e compositor de inequívocos créditos firmados.

 

O ano 2003 consagrou Bangão como um dos maiores intérpretes da música popular angolana. Neste ano, no Top Rádio Luanda, ganha os prémios da música do ano, com o tema “Fofucho”, voz masculina do ano e é reconhecido com o prémio preservação pela sua incessante defesa da música popular angolana.

 

Em 2005 venceu o Top dos Mais Queridos, da Rádio Nacional de Angola (RNA).

 

Nascido a 27 de Setembro de 1962, no bairro Brás, no actual distrito urbano do Sambizanga, em Luanda, onde inicia a carreira musical, Bangão já participou em espectáculos realizados em Portugal, Argentina, Namíbia e Brasil, onde dividiu o palco com o cantor brasileiro Gilberto Gil.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: