De acordo com as fontes da Reuters, o apoio à extensão do crédito concedido a Angola, actualmente próximo de cinco mil milhões de dólares, através do Eximbank, foi dado em Dezembro de 2008, durante a segunda visita à China do presidente José Eduardo dos Santos em menos de cinco meses.

A agencia “ Economist Intelligence Unit”  já havia informado em Janeiro que o montante adicional rondava mil milhões de dólares e na semana passada fonte ligada ao Ministério das Finanças angolano confirmou aquele valor à agência Reuters.

Segundo as mesmas fontes afirmam, o ministro das Finanças, Severim de Morais, deslocou-se à China na semana passada para acertar “os últimos pormenores do empréstimo”.

O Ministério das Finanças angolano assinou com o Eximbank três acordos de crédito.

A agencia britânica Economist Intelligence Unit  refere que “está praticamente esgotada” a linha de crédito oficial disponível, que estima em cinco mil milhões de dólares.

Foi este factor, conjugado com uma “crise de financiamento” interna, resultante de uma “redução para metade das receitas petrolíferas em 2009” , que levou o presidente angolano a deslocar-se a Pequim no fim do ano passado, refere no seu mais recente relatório sobre Angola o gabinete de estudos britânico.

Esta descida, adianta, reflecte o esforço do Banco Nacional de Angola para sustentar o valor do kwanza, cuja cotação na prática está indexada ao dólar norte-americano.

Fonte: Apostolado



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: