Guadalupe – Angola passa agora a ser mais conhecida nas Antilhas francesas (Guadalupe, Martinica, Guiana), pelo contributo e o acervo bibliográfico existente na Casa do Zouk.

Fonte: Club-k.net
A constatação é da directora da Cultura e de Formação Artística de Guadalupe, Nina Gélabale, durante um encontro mantido esta semana em Guadalupe com membros da Casa do Zouk de Angola.

Nina Gélabale convidou para um encontro no seu gabinete os membros da Casa do Zouk, entre eles: Luís Paulo, Mário Santos, Mateus Adão (Angola) e Eddy Compper (Guadalupe) para agradecer o contributo da Casa na divulgação da história, da arte e cultura afro-caribenha.

"Todos os antilhanos estão orgulhosos de Angola por ser o primeiro e único país a ter uma Casa do Zouk, como um espaço-museu, e ao mesmo tempo, uma biblioteca deste tipo de arte", afirmou Nina Gélabale.

A Casa do Zouk de Angola foi inaugurada em Luanda em Junho de 2012 numa concorrida cerimónia que contou com o testemunho de autoridades angolanas, bem como de Pierre Edouard Decimus, criador do zouk e do grupo Kassav, Jacob Desvarieux, guitarrista e director artítisco do Kassav, Luc Leandry, pianista, baixista e guitarrista, e Eddy Compper, produtor e promotor musical antilhano.

O espaço Casa do Zouk de Angola é o único no mundo considerado como o museu deste estilo onde se podem consultar materiais como discos do tipo vinil, cassetes, cds, entre outros objectos artísticos, com músicas de originais gravadas desde os anos 1950.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: