Havana - O governador do Cuando Cubango, Higino Carneiro, produziu o segundo álbum da cantora cubana Lindiana Murphy, intitulado "Terras". Numa entrevista ao Havana Times, Lindiana conta como começou a sua relação com Angola e fala do período em que esteve no país a gravar o disco.

 

Governador do Kuando Kubango compôs uma canção


Fonte: RA
“A vida tem surpresas preciosas. Angola veio até nós através de um empresário chamado Higino Carneiro, que durante uma visita a Cuba ouviu-nos e convidou-nos para participar no festival 23 de Março [no ano passado], o qual tinha a sua primeira edição na província do Cuando Cubango. Assim tivemos o privilégio de tocar para 45 mil angolanos na noite da nossa apresentação e fazê-los dançar durante 30 minutos”, contou a cantora.

 

Foi nessa altura que “nasceu a ideia de gravar para este mercado com a editora Letras & Sons”.

 

O disco mistura português, kimbundo e espanhol em canções nos géneros kizomba e semba. “Está incluída ‘Acontece’, uma das muitas composições do produtor executivo deste disco, Higino Carneiro, e ‘Muxima’, a famosa canção folclórica sem autor conhecido”.

 

Lindiana Murphy anunciou ainda que a apresentação oficial do disco será brevemente em Angola, mas só depois de gravar o terceiro álbum, Mantra, no qual está trabalhando agora e que já não tem influência angolana.

 

A cantora não descarta continuar a colaboração com a editora Letras & Sons. “Veremos que caminhos tomará Terra. Confesso que gostei muito de trabalhar com a Letras & Sons, será um prazer repetir”.

 

O selo Letras & Sons foi criado em 2010 com investimento privado do ex-deputado Melo Xavier e de Higino Carneiro, na altura Ministro das Obras Públicas, segundo o Jornal de Angola.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: