Lisboa - A PJ, ao longo dos anos, foi elaborando relatórios que davam conta da ligação dos traficantes com os poderes políticos, prevendo e temendo a constituição de um narco-Estado, o que veio a ser confirmado pelas Nações Unidas tarde de mais.

Num momento em que as organizações colombianas se encontram em força na Guiné-Bissau, perguntar-se-á onde pára a responsabilidade dos sucessivos governos de Portugal, ao apoiarem financeiramente e politicamente a Guiné-Bissau. Será que nunca tiveram conhecimento dos relatórios policiais?

Talvez não tenham acreditado no seu conteúdo, apesar da sua objectividade, não conseguindo prever aquilo que, para nós, era anunciado: a morte dos altos dirigentes de um país que não consegue fugir do jugo de organizações criminosas.

*Gonçalo Amaral, ex-coordenador da PJ
Fonte: CM



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: