Brasil - O sambista Ivo Meirelles, ex-presidente da Mangueira, e o cantor Dudu Nobre passaram por um sufoco recentemente. Eles estiveram em Luanda, na Angola, no fim de novembro para promover uma grande roda de samba, pelo projeto batizado de "I Love Rio", fazendo com que a cultura carioca passasse pela África. Ao chegarem ao país, eles descobriram ter sido vítimas de um grande golpe. O produtor local não pagou o que havia combinado em contrato, cancelou as reservas em um hotel e fez com que os músicos ficassem completamente sem dinheiro no país. "Estivemos à beira da humilhação", relata Ivo.

Fonte: EGO

Em conversa com o EGO nesta quinta-feira, 10, após retornar ao Brasil, Ivo Meirelles relata a experiência negativa enfrentada por conta da quebra de contrato e o sufoco que passou. "Aceitei ir pra Angola sem antes receber o meu cachê no Brasil. Isso porque conheci um rapaz angolano, bem articulado, de nome Alisson de Antas Miguel. Abracei o seu projeto, que era de shows semanais com convidados. Eu, minha banda e sempre algum convidado brasileiro. Convenci vários artistas brasileiros a estarem comigo. O produtor, além de não me pagar um centavo sequer, não pagou o hotel onde estávamos hospedados, e a minha banda teve que deixar seus quartos. Sem termos pra onde ir, nos amontoamos em um quarto só é por lá ficamos até sermos todos convidados a deixar o hotel. Sem dinheiro, contamos com a solidariedade de amigos angolanos e brasileiros para nossa alimentação", desabafa o sambista.

Ivo Meirelles também conta sobre uma multa que todos de sua banda tiveram que pagar por conta de um visto de curta duração na África. "Tivemos um estresse enorme. Minha banda é formada por pessoas humildes e na possibilidade de viajarem pra Angola, tiveram que dispor de R$ 340,00 para retirar seus passaportes.O tal produtor nos orientou a tirar um visto de curta duração e acabamos todos multados. "


O cantor Dudu Nobre, que esteve em Luanda para apenas um show dentro do projeto, no dia 22 de novembro, contou ainda estar esperando receber parte de seu cachê, cerca de R$11.393. "Retardei a minha volta esperando receber, estava faltando esse dinheiro. O cara sumiu, o produtor desapareceu, e eu não vi mais mais esse dinheiro", lamenta ele, que completa: "A gente que trabalha com show infelizmente está sempre suscetível a esse problema com contratos, às vezes chegamos para fazer o show e não tem a grana. No caso de Angola eu confiei porque fui convidado pelo meu amigo Ivo Meirelles para estar lá. Infelizmente o produtor enganou o Ivo e a mim".


Outros músicos também chegaram a ser convidados por Ivo Meirelles para fazer participações no projeto do produtor Allison Miguel, mas, ao serem alertados pelo sambista, não chegaram a passar o sufoco na África. "Iríamos estrear com o Neguinho da Beija-Flor, mas o produtor não pagou o visto, daí ele não foi. Na segunda semana foi o Dudu Nobre como participação. O terceiro show seria o Vavá do Karametade, mas aí já percebi que não iríamos receber e falei para ele não ir para Angola. Depois disso não recebi mais meu dinheiro também, o produtor sumiu e cancelou os shows em cima da hora. Ele nos abandonou no hotel e foi aí que percebi que não receberíamos mais", conta Ivo.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: